× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

Betinho: 22 anos de saudade

Neste mês de agosto completa 22 anos da morte do sociólogo Herbert de Souza


Em 19.08.2019 às 18:45 Compartilhe:

“Cidadania e democracia se fundem em princípios éticos e, por isso, têm o infinito como seu limite.”

A frase acima é do saudoso, Herbert de Souza, Betinho como era conhecido, que com simplicidade, ironia, bom humor e firmeza lutou nos anos 90 para combater a fome, a miséria e a exclusão social no país, por meio da cidadania. Neste mês de agosto, completa 22 anos que Betinho, morreu. Porém, sua capacidade mobilizadora e transformadora para o enfrentamento das desigualdades continua presente.

Criador da Ação da Cidadania e da Campanha Natal Sem Fome, Betinho, foi fundamental para a criação de políticas que tiraram o país do Mapa da Fome da ONU em 2014. O sociólogo, mobilizou milhões de pessoas por diversas causas, da reforma agrária ao combate à fome.

A campanha de Betinho contra a fome e a miséria lhe rendeu uma indicação ao Prêmio Nobel da Paz em 1994. Isso porque a campanha que parecia fadada a ser apenas mais uma, conquistou vários segmentos da sociedade civil, como empresas públicas e privadas, entidades de classe, associações, imprensa e muito mais. Toda a sociedade foi sensibilizada e passou a apoiar a iniciativa do sociólogo.

A ANABB foi uma das instituições que acreditou e apoiou o movimento de Betinho e a criação e manutenção de comitês por todo o Brasil desde o início. No premiado filme Betinho – A Esperança Equilibrista, existe um trecho em que Betinho faz menção ao Prêmio Cidadania, instituído pela Associação em 1995. “A iniciativa da ANABB em criar o Prêmio Cidadania é um sucesso. Já premiamos tudo nessa vida. Agora estamos premiando cidadania”. Nos últimos, dois anos ANABB e o Instituto VIVA CIDADANIA apoiaram a campanha Natal Sem Fome, idealizada pelo sociólogo.

 “O nome de Betinho ressoa como um símbolo de solidariedade, abnegação e esperança. Ele tinha uma profunda capacidade de mobilização que falta hoje à sociedade. Que sua história sirva de exemplo para que se levante muitos outros brasileiros dispostos a dedicar tempo à luta contra à fome e a miséria”, disse o presidente do IVC, Douglas Scortegagna.  

Betinho morreu em 9 de agosto de 1997, aos 62 anos, ele não resistiu às complicações causadas pelo vírus HIV contraído em uma transfusão de sangue.

Fonte: Agência ANABB