× Modal
< Voltar


ANABB

Diretores Regionais da ANABB participam de reunião anual em Brasília

Evento reúne os Diretores Regionais da Associação para discutir ações estratégicas


Em 18.03.2019 às 09:01 Compartilhe:

Atualizado em 20/03 às 17h:55min

A ANABB promove, de 18 a 20 de março, a reunião anual com os Diretores Regionais, na sede da Associação, em Brasília (DF). Este ano, 64 Diregs de todo o Brasil estão discutindo temas relevantes para os associados – como privatização do Banco do Brasil, a conjuntura política, reforma da previdência, sustentabilidade da Cassi, os resultados da Previ, produtos e serviços da ANABB, entre outros – e definindo o planejamento dos trabalhos em suas bases.

O evento começou com a participação do psicólogo Ricardo Barros, que falou sobre o tema “Felicidade não tem idade – e é uma escolha diária: consciente, possível, necessária e urgente” para estimular a importância dos pensamentos e ações positivas no trabalho diário com os associados. Ricardo é aposentado do Banco do Brasil, foi gestor da área de pessoas e governança do BB e ministra palestras por todo o Brasil.

A abertura dos trabalhos foi realizada pelo presidente da ANABB, Reinaldo Fujimoto, que foi acompanhado na mesa de abertura pelos vice-presidentes da Entidade Graça Machado, Douglas Scortegagna, Haroldo Vieira e João Botelho; pelos presidentes dos Conselhos Deliberativo e Fiscal, Luiz Oswaldo Sant'Iago e Williams Francisco da Silva; e pelo representante dos Diretores Regionais, Carlos Francisco Pamplona (SC-52).

"Estamos aqui para trabalhar. Nesses três dias de evento, contaremos com a presença de pessoas envolvidas em todos os assuntos de interesse dos funcionários do Banco do Brasil. Vamos municiá-los de informações para auxiliá-los em suas bases", disse o presidente Reinaldo Fujimoto. Integrantes dos conselhos Deliberativo e Fiscal também participam da reunião.

 

PRIVATIZAÇÃO 

O primeiro tema debatido foi a "Privatização do Banco do Brasil", conduzido pelo presidente do Conselho Deliberativo, Luiz Oswaldo Sant'Iago. "Temos que reforçar e mostrar a brasilidade do Banco, mostrar para a população e para todo o país a importância do BB e seu papel social. Temos que lutar e não podemos perder a esperança", disse. Durante o debate, Luiz Oswaldo ouviu sugestões e mediou as discussões entre os Diregs sobre o combate à privatização do Banco.

Neuriberg Dias, analista político do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) e assessor do Comitê em Defesa das Empresas Públicas, foi um dos convidados e apresentou para os Diregs o cenário do processo de privatização colocado em prática pelo governo, o trabalho que está sendo feito pelo Comitê, em especial com os novos parlamentares, e os caminhos da privatização dentro do Legislativo e no Judiciário.

"O governo enfrentará um longo processo para emplacar todas as privatizações que tem em mente. Não vejo um cenário de privatizações a passos largos, pois muitas delas requerem aprovação do Poder Legislativo e acredito que haverá uma resistência do Poder Judiciário", disse o analista político.
 

SUSTENTABILIDADE DA CASSI

Em um segundo momento, os Diregs tiveram a oportunidade de debater sobre a sustentabilidade da Cassi e o processo de negociação entre as entidades, a Caixa de Assistência e o Banco do Brasil. Reinaldo Fujimoto agradeceu a todos os Diretores Regionais o trabalho de mobilização dos associados desenvolvido durante as campanhas de autorização da ação judicial contra a Resolução CGPAR nº 23 e do Voto Não (contra a alteração estatutária da Cassi).

 

CONTAS DA ANABB

A vice-presidente Administrativa e Financeira, Graça Machado, fez uma breve apresentação das contas da ANABB em 2018 e enfatizou que não houve reajuste na mensalidade da Associação, embora tenha ocorrido aumento nas tarifas bancárias cobradas pelo BB. "É importante que vocês, Diregs, tenham conhecimento destas informações, já que trabalham na base, diretamente com os associados", frisou.

 

RESOLUÇÃO CGPAR 23

Em seguida, os diretores regionais acompanharam a manifestação da deputada federal Erika Kokay (PT-DF), autora do PDC 956/2018, que suspende os efeitos da Resolução CGPAR nº 23/2018. A ANABB teve participação direta na elaboração do projeto, apresentando uma minuta com argumentação técnica para seu embasamento. "Queria agradecer à ANABB pela possibilidade de participar desse evento, onde posso abordar a defesa do banco público, ainda mais nesse momento em que tudo o que é público está em risco. Saliento que temos que nos organizar, mesmo o cenário não sendo fácil, para que o PDC seja aprovado em plenário", enfatizou a parlamentar.

 

TESES JURÍDICAS

As novas teses jurídicas da ANABB foi outro assunto colocado em debate. A equipe jurídica da ANABB explicou detalhadamente as cinco teses de ações que são mais demandadas pelos associados nas redes sociais. Foram esclarecidas as dúvidas dos Diregs e ressaltado, mais uma vez, que a ANABB, historicamente, não ingressa com ações que envolvam prejuízos para o corpo social. "Nosso papel é esclarecer ao associado sobre os riscos, para que ele possa tomar a melhor decisão", declarou o consultor jurídico da ANABB, Francisco Marinho.

 

AÇÕES JUDICIAIS

Neste painel, foram apresentadas a situação das ações impetradas pela ANABB e a divulgação das mesmas junto aos associados, caso da ação IR Previ coletiva, que encerrou o prazo para o recebimento do kit de adesão em 1º de março de 2019. Os Diregs fizeram ampla campanha junto às suas bases para que os associados enviassem a documentação. Na oportunidade, também foram esclarecidas as principais dúvidas manifestadas pelos associados e foi realizado um apanhado das liquidações judiciais, que já ultrapassam R$ 1,7 bilhão em toda a história da ANABB.

 

SEGUROS

Em relação aos Seguros da ANABB, os Diregs foram informados sobre a quantidade de associados que possuem seguros e a cobertura dos planos. Neste painel, também foram informados os valores pagos aos associados, em 2018, em coberturas e prêmios. "Os associados tiveram um ganho de qualidade com os seguros ANABB", declarou o Vice-Presidente de Relações Funcionais, Haroldo Vieira.


ODONTOANABB

A equipe do OdontoANABB apresentou aos Diregs os números dos planos odontológicos ofertados aos associados, assim como as diversas facilidades para o uso eficiente do OdontoANABB, em especial do plano Privilege. Um dos pontos enfatizados pelo vice-presidente de Relações Funcionais, Haroldo Vieira, foi a economia gerada para os associados e para a ANABB a partir das negociações com a OdontoPrev. "Lembramos que o Plano Integral não sofreu qualquer reajuste, para os associados (custeado pela ANABB) e seus dependentes".


PLP 268/2016

O assessor parlamentar Henrique de Freitas, que representou no evento o senador Jorginho de Mello (PR/SC), relator do PLP 268/2016 na Comissão de Constituição eJustiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados na legislatura passada, falou sobre a tramitação do projeto que trata sobre a governança das entidades fechadas de previdência complementar. "Houve uma articulação muito grande entre as associações, em especial a ANABB, o governo e alguns fundos de pensão para a construção de um texto coerente e consistente, que foi aprovado na CCJC. O próximo passo é conseguir o apoio de um parlamentar que tenha facilidade de transitar entre a base do governo e a oposição, pois precisamos de 257 votos para a aprovação do PLP em plenário".

 

CONVÊNIOS

A reestruturação dos convênios da ANABB foi destaque durante a reunião, assim como a importância de oferta aos associados dos convênios nacionais. "Tínhamos uma quantidade grande de convênios que eram inutilizados. Esses foram cancelados. Procuramos sempre ofertar convênios com descontos mais atrativos para os associados", destacou o vice-presidente Haroldo Vieira. O trabalho e as estratégias para renegociação de pendências junto aos associados e os números do quadro associativo da ANABB também foram abordados junto aos diretores regionais.

 

COMUNICAÇÃO

No painel da Comunicação, os Diregs foram informados sobre a atuação da ANABB nas redes sociais, pelo jornal Ação e com as publicações impressas especiais. Na oportunidade, também foram apresentados dados de acessos ao portal da ANABB e as estratégias para o aumento do número de visitantes, além da relevância do conteúdo oferecido por meio do Espaço do Associado. Neste mesmo painel, foram divulgados ainda números do Instituto Viva Cidadania (IVC), com destaque para a recente campanha de arrecadação de alimentos da ação Natal Sem Fome e para a parceria com os Observatórios Sociais. "Apoiamos cinco Observatórios Sociais com importante trabalho de fiscalização de gastos públicos, e, em 2019, vamos fazer parceria com mais cinco", ponderou o vice-presidente de Comunicação da ANABB e presidente do IVC, Douglas Scortegagna.

 

CONJUNTURA NACIONAL

O deputado federal Tadeu Alencar (PSB-PE), que trabalhou como bancário no Banco do Brasil e foi procurador da Fazenda Nacional, foi convidado pela ANABB para falar sobre a conjuntura política nacional. O parlamentar teve importante participação na tramitação do PDC 956/2018, ao apresentar parecer favorável à matéria na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) na Câmara. "Não é momento de nenhuma exaltação aos extremos. É hora de criar ambientes de diálogo e de convergência. É preciso responsabilidade para enfrentar os problemas econômicos", destacou ele, ao se posicionar sobre a reforma da previdência. "Temos que fazer um debate sobre a reforma. Cada segmento social deveria dar sua parcela de contribuição".

 

RELATÓRIO PREVI

Os resultados de 2018 da Previ também foram debatidos no evento. O presidente da Caixa de Previdência, José Maurício Pereira Coelho, e o diretor de Seguridade, Marcel Juviniano Barros, apresentaram o balanço anual da entidade para os Diretores Regionais. Foi ressaltado o superávit de R$ 6,5 bilhões no Plano 1 e rentabilidade de 14,06% do Previ Futuro, desempenho acima da meta atuarial acumulada de 8,61% nos planos de benefícios. "A busca é por planos cada vez mais equilibrados", destacou Marcel. No painel, foram detalhadas ainda informações sobre o planejamento da Previ, política de investimentos dos planos, atualização da tábua atuarial e novidades trazidas pelo app e pelo novo canal da entidade no Youtube.

 

ASSESSORIA PARLAMENTAR

A vice-presidência de Relações Institucionais apresentou para os Diretores Regionais o trabalho da Assessoria Parlamentar da ANABB e um panorama dos principais projetos de lei que a Associação acompanha, assim como a tramitação de cada um na Câmara dos Deputados e no Senado Federal. "A Associação possui uma forte atuação junto aos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Estamos articulando com os novos parlamentares e mapeando os partidos da base do governo, com o intuito de defender e garantir os direitos dos funcionários do Banco do Brasil", enfatizou o assessor parlamentar da ANABB, Filipe Montenegro.

 

CONSELHO FISCAL

Os conselheiros fiscais apresentaram aos Diregs, de forma detalhada, o trabalho desenvolvido pelo Conselho nos últimos meses. Neste painel, foram apresentadas as funções e responsabilidades do órgão, metodologia de trabalho, evolução contábil e processual. "Nosso trabalho é técnico e aqui temos que dar o encaminhamento institucional dos temas, sob a premissa da impessoalidade", destacou o presidente do Conselho Fiscal, Williams Francisco. O dirigente também destacou o parecer do Conselho, que é feito trimestral e anualmente, onde é possível acompanhar questões pontuais e de provisões. Na oportunidade, também foi ressaltada a importância da aba transparência, onde é possível conferir documentos desde 2012, e as mais recentes demonstrações consolidadas no painel.

 

RESULTADOS DA CASSI

O presidente da Cassi, Luís Aniceto Silva Cavicchioli, apresentou brevemente os resultados de 2018, que serão divulgados nos próximos dias pela Caixa de Assistência. "Hoje, nosso índice de eficiência já está no patamar de ineficiência, pois perdemos a nossa capacidade de investir e evoluir por falta de recursos. Há um descasamento entre as nossas despesas e receitas. Mais de 50% das nossas despesas estão concentradas nas internações hospitalares, exames e insumos. Se conseguirmos trabalhar na prevenção, na atenção primária à saúde, reduziremos as internações, que, como disse, é a nossa maior despesa hoje", disse Luisinho.

Fatores como contenção das despesas administrativas, contingenciamento de viagens a serviço, falta de reajuste aos funcionários da Cassi, renegociação das faturas com os prestadores de serviços, revisão das glosas e dos contratos foram alguns dos pontos considerados pelo presidente da Cassi como ações positivas que têm contribuído para a redução do déficit.

 

BANCO DO BRASIL

O diretor de Gestão de Pessoas do Banco do Brasil, José Avelar, esteve presente na reunião anual e apresentou os desafios da área e os resultados do Banco em relação às principais instituições financeiras de mercado. "O Banco do Brasil parte da premissa de desenvolver os seus talentos, o que garante a possibilidade de fazer planejamento a médio e longos prazos nas carreiras. Oferecemos programas de seleção e aprimoramentos para todos os cargos no BB, desde aquele funcionário recém empossado até as formações de gestores", explicou Avelar.

Vários Diretores Regionais perguntaram ao titular da Dipes sobre uma possível privatização do Banco do Brasil. Avelar foi enfático em dizer que "ainda que tenha sido um comentário público do presidente do BB, a privatização não está em pauta dentro do Banco do Brasil". Recentemente, o presidente do Banco, Rubem Novaes, afirmou em entrevista que "se o banco fosse privado, teria um resultado melhor do que tem hoje".

Questionado pelos Diregs, Avelar comentou que vai levar para a sua área a possibilidade de integração dos aposentados, como forma de estimular a participação deste grupo nos trabalhos do Banco.

 

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Os Diretores Regionais assistiram palestra sobre a reforma da previdência ministrada pelo vice-presidente da Comissão de Direito Previdenciário da seccional do Distrito Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF), José Augusto Lyra, e debateram a respeito da proposta do governo. Foram abordadas, de forma detalhada, regras de transição, de idade mínima e alíquota de contribuição, dentre outros temas. "Não sou a favor da reforma da maneira que está. Não sou contra o governo. Sou sim a favor do Brasil. Nos moldes em que está, seremos em 10 anos uma nação de miseráveis", enfatizou Lyra. Quando questionado pelos Diregs sobre a previdência do país, o advogado foi direto. "Posso garantir, por ter estudado outros regimes, que o regime previdenciário do Brasil é o melhor da América Latina e um dos 10 melhores do mundo. Agora, por outro aspecto, vejo que a sonegação é um baita problema e que tem que ter vontade política para ser resolvido", ponderou.

O painel também contou com a participação da presidente da Comissão de Seguridade Social da OAB-DF, Viviane Moura, que destacou a tramitação da proposta. "Certamente que essa proposta de reforma da previdência, maneira que está, não será aprovada. Será preciso alguns ajustes", afirmou a advogada, que acrescentou: "Essa reforma está posta de maneira matemática, mas não aos olhos dos juristas. Esqueceram de consultar os juristas".

Veja mais na galeria

1 de 43
Fonte: Agência ANABB