× Modal
< Voltar


ANABB

Novo PAQ traz preocupações e dúvidas à ANABB

Para obter esclarecimentos sobre o PAQ, a ANABB procurou o Banco do Brasil


Em 05.01.2018 às 20:14 Compartilhe:

O Banco do Brasil anunciou, nesta sexta-feira (5/1), o novo processo de reestruturação denominado Programa de Adequação de Quadros (PAQ). A notícia surpreendeu a ANABB, pois a Associação já havia procurado o Banco para ter informações sobre um novo processo de reestruturação que havia sido antecipado pela mídia. No entanto, o BB negou que havia qualquer intenção de fazer um processo semelhante neste momento.

A ANABB orienta os funcionários para que analisem a própria situação e vejam se, no seu caso, o PAQ será vantajoso.
 Para obter esclarecimentos sobre o PAQ, a ANABB procurou o Banco do Brasil, que informou que o programa destina-se à regularização de quadros de unidades com excessos, limitado à quantidade necessária para regularização do contingente de funcionários em cada unidade. De acordo com o BB, o objetivo é otimizar a estrutura de atendimento por meio da modernização, aumentar a satisfação dos clientes, bem como a geração de resultado, com valorização e oportunidades para os funcionários. O programa pretende realocar os funcionários para que ocupem as novas vagas que serão geradas. Para mais informações sobre o regulamento do PAQ clique aqui.

A ANABB orienta os funcionários para que analisem a própria situação e vejam se o PAQ será vantajoso. “O funcionário precisa ser cauteloso antes de tomar uma decisão. Não se sentir pressionado pela situação de excedente e verificar junto às entidades Cassi e Previ quais serão os direitos que eles terão ao aderir ao programa”, afirmou o presidente da ANABB, Reinaldo Fujimoto. O Banco, ao ser questionado pela Associação sobre a Cassi e a Previ, informou que as entidades disponibilizarão mais informações em seus canais de atendimento. Mas é importante o funcionário procurar as duas entidades para saber quais benefícios serão mantidos.

A ANABB recomenda ainda que, caso a opção seja pelo desligamento, é preciso levar em consideração se a compensação oferecida pelo Banco será vantajosa comparada com a perspectiva de carreira fora do BB e as condições de realocação no mercado de trabalho, entre outras variáveis.

Segundo o BB, o PAQ é um processo contínuo, de rearranjo do atendimento do Banco, de relacionamento com os clientes para garantir a sustentabilidade da instituição. “Temos uma concorrência que vem de fora do setor bancário ávida pelos nossos clientes,” argumentou o gerente da Dipes, João Gimenez, ao reafirmar a necessidade de modernização da instituição financeira.

A ANABB foi representada na reunião com o Banco do Brasil pelo vice-presidente de Relações Institucionais, João Botelho. A entidade tem por princípio defender um banco útil à sociedade, por isso preocupa-se com o fechamento de agências em cidades carentes de atendimento bancário, deixando os cidadãos desamparados, tendo que se deslocar para cidades vizinhas em busca do atendimento às suas necessidades, como saques de aposentadorias, pagamentos de contas, entre outras.

ANABB participa de reunião com o Banco do Brasil sobre o PAQ

 

Entenda as recentes reestruturações

No final de 2016, o Banco do Brasil promoveu um plano reorganização da instituição, do qual fazia parte o Plano Extraordinário de Aposentadoria Incentivada (PEAI), que tinha como público-alvo pessoas com condições para se aposentar. Mais de 9.400 funcionários aderiram ao programa. Desde então, a ANABB reuniu-se com o Banco do Brasil para entender como funcionaria o programa e acompanhou todas as audiências de mediação promovida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) sobre a situação de 2.300 bancários, que, em julho de 2017, ainda não haviam sido realocados após o processo de reestruturação do BB, com o fechamento de muitas agências.

A ANABB acompanhou o processo de reestruturação desde o anúncio das mudanças. Durante reunião com o presidente do Banco, Paulo Rogério Caffarelli, ainda em dezembro de 2016, a Associação manifestou a preocupação da entidade com os funcionários que poderiam vir a ser descomissionados e sugeriu ao BB a possibilidade de extensão da Vantagem de Caráter Pessoal (VCP) até o fim de 2017. Assim, haveria mais tempo para que os funcionários fossem realocados e para que o Sistema de Talentos e Oportunidades (TAO) Especial atingisse os objetivos para os quais foi concebido. A ANABB identificou que a possibilidade de redução de salário dos servidores descomissionados que não tinham condições de mudar de cidade seria o principal motivo de estresse no funcionalismo.

Fonte: Agência ANABB