× Modal
< Voltar


Natal sem Fome

ANABB e IVC são parceiros da campanha Natal sem Fome

Campanha é relançada e tem a meta de arrecadar 500 toneladas de alimentos


Em 16.11.2017 às 17:29 Compartilhe:

“Quem tem fome tem pressa”, frase histórica do sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, que faz todo o sentido nos dias atuais. 

Século XXI, ano 2017. Ao menos 7 milhões de brasileiros ainda sofrem com a fome no país. O Brasil está em alerta diante de um cenário de crise econômica e política, com aumento do desemprego e enfraquecimento de programas sociais que beneficiam populações mais vulneráveis, como ribeirinhos, camponeses, populações de rua.

O Brasil deixou de fazer parte do Mapa da Fome elaborado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) há três anos, ao manter o índice inferior a 2,5%. Isso representa que a maioria da população tem acesso à quantidade suficiente de alimentos para cobrir suas necessidades calóricas diárias. Porém, uma parcela de brasileiros ainda sofre com a fome, e não consegue acessar os alimentos disponíveis. O Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional da América Latina e do Caribe divulgado este ano pela agência da ONU indica que o Brasil é um dos países que pode alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 2 Fome Zero até 2030.

No entanto, de acordo com o representante da FAO no país, Alan Bojanic, é importante manter os investimentos em políticas públicas voltadas ao combate à fome e a má nutrição. “Se esses investimentos pararem ou forem reduzidos em uma escala substancial, aliados à recessão pela qual o país ainda passa com elevados índices de desemprego, o Brasil corre o risco de mais pessoas passarem fome. Já com relação à América Latina e o Caribe, realmente, os dados divulgados este ano mostram que a região sofreu aumento de pessoas que passam fome. Atualmente, cerca de 42,5 milhões de pessoas estão subalimentadas, um aumento de 2,4 milhões. Se essa tendência não se modificar, a América Latina e o Caribe não cumprirão a meta de erradicar a fome e a má nutrição no prazo estimado”, ressaltou.

Diante desse cenário de incertezas que o Brasil enfrenta, o comitê Ação da Cidadania relançou, depois de 10 anos, a campanha Natal Sem Fome, criada em 1993, pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, fundador da organização. O objetivo é arrecadar 500 toneladas de alimentos que serão distribuídas em cestos de 10 quilos e beneficiarão cerca de 200 mil pessoas. “A crise dos últimos anos fez que a situação de milhares de brasileiros que já estavam abaixo da linha da pobreza em 2014 piorasse”, reforçou Daniel de Souza, coordenador executivo do comitê Ação da Cidadania. Antes de retomar a campanha Natal Sem Fome, a entidade arrecadou e distribuiu alimentos para servidores estaduais do Rio de Janeiro que tiveram salários atrasados.

O comitê Ação da Cidadania está presente em 18 unidades da Federação e contará com uma rede de apoio para arrecadação e distribuição dos alimentos que serão recolhidos durante a campanha Natal Sem Fome. Entre os itens que comporão os cestos estão arroz, feijão, macarrão, azeite, açúcar e fubá. As doações serão entregues na semana que antecede o Natal.

Pela primeira vez, a campanha Natal Sem Fome recebeu o apoio de duas agências das Nações Unidas, a FAO e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). “A FAO apoia diversas iniciativas que promovem ações de combate a esses problemas que ainda afligem a sociedade. O movimento Ação da Cidadania surgiu no Brasil na década de 1990, quando o país ainda pertencia ao Mapa da Fome, com o objetivo de ajudar a tirar da pobreza 32 milhões de brasileiros. Com diversas ações direcionadas ao combate à fome e à miséria, tornou-se referência em ações desse tipo. Nessa perspectiva, apoiamos a campanha Natal Sem Fome”, afirma Alan Bojanic, representante da FAO no Brasil.

"Para a Unesco é motivo de orgulho estar associada à uma iniciativa como a campanha Natal sem Fome, da Ação da Cidadania. Sabemos que a campanha isoladamente não vai acabar com a fome, mas já não há mais dúvidas de que a contribuição de diferentes atores da sociedade é fundamental para enfrentar esse problema que ainda hoje afeta milhões de pessoas no Brasil e no mundo. O terceiro setor, a iniciativa privada e a sociedade civil podem e devem contribuir para que os resultados de políticas públicas possam ser ainda mais significativos", diz Marlova Noleto, Representante a.i. da Unesco no Brasil.

ANABB e IVC são parceiros da campanha Natal Sem Fome

A ANABB e o Instituto VIVA CIDADANIA (IVC) também abraçaram a causa e mobilizaram seus 66 diretores regionais para que a meta da campanha seja superada e até mesmo ultrapassada. Para o presidente do IVC e vice-presidente de Comunicação da ANABB, Douglas Scortegagna, quanto maior o número de entidades e cidadãos apoiando esta iniciativa, o resultado poderá ir além do estimado e atender o maior número de famílias que se encontram nessa situação. “Lá em 1993, quando a Ação da Cidadania foi lançada, a ANABB também inaugurou seu primeiro programa social, o Brasil sem Fome, inspirado no trabalho social de Betinho. Fortalecemos nossa atuação e ampliamos o programa para atender todas as carências para o exercício da cidadania, como educação, profissionalização e ressocialização, hoje encampado pelo IVC. Mas para o ser humano dar conta de qualquer atribuição, ele precisa estar alimentado”, ressaltou Scortegagna.

Vale lembrar que, naquela época, os funcionários do Banco do Brasil montaram cerca de 2.400 comitês de apoio ao movimento do sociólogo Betinho. A ANABB patrocinou a confecção de camisetas com a marca “cidadania” para que os comitês pudessem vender e reverter a quantia arrecadada para projetos de combate à fome. O resultado foi uma arrecadação superior a R$ 1 milhão, em valores da época. Diante da oferta de ajuda de seus associados e do potencial de voluntariado dos comitês, a ANABB começou a intermediar a doação de recursos para projetos de cidadania.

Para a diretora de projetos do IVC e vice-presidente Financeira da ANABB, Graça Machado, a responsabilidade social é uma marca da Associação e do Instituto, que sempre incentivaram o envolvimento do funcionalismo do Banco do Brasil nos comitês de cidadania para melhorar as condições de comunidades e populações desassistidas. “Se cada um fizer sua parte, teremos condições de fazer a diferença na vida de pessoas que não têm como prover o sustento de suas famílias. Aquelas que foram marginalizadas pelas situações impostas a elas, como falta de oportunidades de trabalho, estudo, capacitação profissional, entre outras. Entrar nessa campanha Natal Sem Fome, juntamente com a Ação da Cidadania, vem fortalecer o compromisso de nossa entidade com o bem-estar social”, destacou Graça.

“O braço social da ANABB tem a mesma idade da Ação da Cidadania. Só isso já demonstra a importância da Associação em todo esse processo. É uma parceria muito forte, muito importante, que vai nos ajudar a fazer que a campanha chegue a todos os lugares”, enfatizou Daniel de Souza.

Locais de arrecadação de alimentos

Clique aqui  e veja os locais organizados pelos diretores regionais da ANABB.

 Clique aqui e veja os locais instalados pelo comitê Ação da Cidadania.

JUNTE-SE À ANABB E AO IVC E APOIE A CAMPANHA NATAL SEM FOME

Participe dessa corrente do bem e faça sua doação para alimentar milhares de famílias que passam fome em nosso país.

A campanha de fim de ano do Instituto VIVA CIDADANIA destinará os recursos arrecadados para compra de alimentos para a campanha Natal Sem Fome. Você poderá doar alimentos não perecíveis ou dinheiro.

Doações em dinheiro poderão ser feitas para a conta:

Dados bancários:

Banco do Brasil

Titular: Associação Brasileira Para o Exercício da Plena Cidadania (INSTITUTO VIVA CIDADANIA)

CNPJ: 19.320.594/0001-46

Agencia: 3382-0

Conta corrente: 33.000-0

Atenção: Em caso de transferência por meio de DOC ou TED, informe o CPF no primeiro campo.

Nas doações acima de R$ 200,00, os doadores receberão um brinde especial do IVC.

Para se ter ideia, é possível com R$ 50,00 colocar alimentos em 52 pratos, com R$ 100,00 - 103 pratos e com R$ 200,00 - 206 pratos, que aliviarão a fome de centenas de pessoas.

Em caso de dúvida, escreva para instituto@vivacidadania.org.br ou ligue para (61) 3442 9634.

Sua doação será muito bem-vinda!

Fonte: Agência ANABB