× Modal
< Voltar


Banco do Brasil

BB tem valor recorde e emissão de sucesso no exterior

O mercado avalia positivamente o compromisso do BB com a melhora da eficiência


Em 19.10.2017 às 16:43 Compartilhe:

Nesta última terça-feira (17/10), as ações do Banco do Brasil (BBAS3) fecharam cotadas a R$ 37,56, o maior valor nominal de fechamento alcançado pelo BB. A esta cotação, o valor de mercado do banco está sendo avaliado em R$ 104,6 bilhões.

O mercado avalia positivamente o compromisso do BB com a melhora da eficiência, controle de despesas, gestão da inadimplência que impacta positivamente a PCLD e o foco no aumento na rentabilidade. Recentemente analistas de diversos bancos de investimento elevaram o preço alvo das ações BBAS3. Desses analistas 75% recomendam compra de nossas ações, 18,8% manutenção e 6,3% recomendam venda, sendo que Deutsche Bank, Itaú BBA e UBS as classificaram como Top Pick (ações favoritas).

Veja abaixo alguns destaques de analistas sobre o Banco do Brasil:

- Credit Suisse: "Banco do Brasil: No caminho para a elevação do RSPL. Projetamos para o BB crescimento de 20,6% no lucro para 2018 (com RSPL de 15,8%) e de 26,2% para 2019 (com RSPL de 17,6%). O resultado do 2T17 mostrou que a qualidade dos ativos está melhorando, mas ainda em ritmo menor que o dos pares, com a formação da inadimplência caindo ligeiramente no trimestre."

- Bank of America: "O BB ainda tem espaço para normalizar suas provisões, apesar da melhora nos últimos trimestres. A inadimplência deve ter atingido seu pico no 2T17, o que deve levar a menores provisões nos próximos trimestres. Entretanto, a relação entre despesas de provisões em relação ao portfólio de crédito já começou a mostrar melhora, mas ainda se encontra 70bps acima da média histórica de 3,5% dos últimos 9 anos."

- Scotiabank: "No 2T17 o Banco do Brasil mostrou bom desempenho em termos de crescimento do crédito, apesar de ainda em território negativo. Além disso, a PCLD também caiu. Na visão anual, acreditamos que os bancos brasileiros continuarão a apresentar menores provisões, mas o custo do crédito (despesas de provisão/ carteira de crédito) ainda está longe dos níveis normalizados, e melhorias adicionais são esperadas."

Emissão de bonds do BB impressionou pela demanda

O BB anunciou a captação de US$ 1 bilhão em bônus com prazo de sete anos, para uma emissão que teve demanda superior a US$ 5,5 bilhões. O retorno oferecido aos investidores foi de 4,70%, inferior à taxa indicada na abertura, que estava em torno de 5%. Os recursos são utilizados para reforçar a tesouraria do Banco no exterior.

“A operação foi excelente e revela a confiança dos investidores nos fundamentos apresentados pelo BB. Recebemos 350 ordens de compras, de todos os continentes, sem concentração ou investidores-âncoras, o que mostra a grande capacidade de distribuição de nossas equipes de Securities”, disse o vice-presidente Alberto Monteiro em conferência com jornalistas após o fechamento da emissão.

Fonte: Banco do Brasil