× Modal
< Voltar


Previ

Participantes da Previ são estimulados a correrem mais riscos

A Previ não precisou aumentar recentemente as contribuições de seus associados


Em 17.10.2017 às 15:04 Compartilhe:

A Previ colocou em prática uma estratégia para estimular seus participantes a correrem riscos, acompanharem e suportarem as flutuações do mercado financeiro. O presidente da Previ Gueitiro Matsuo Genso comentou, durante o 38º Congresso Brasileiro da Previdência Complementar Fechada, promovido pela Abrapp, a atual estratégia financeira da Previ para que os recursos do fundo possam render mais.

A Previ, que acumula até setembro de 2017 um superávit de R$ 6,5 bilhões, não precisou aumentar recentemente as contribuições de seus associados de maneira drástica como fizeram outros fundos de estatais para cobrir rombos devido à má gestão e irregularidades. Uma das possíveis explicações para esse desempenho da Previ está ligada ao perfil dos associados que, como bancários, lidam com dinheiro no seu cotidiano e conhecem como funciona os mercados.

Os planos da Previ
Hoje, a Caixa de Previdência possui dois tipos de participantes. De um lado estão os funcionários mais antigos do Plano de Benefício Definido (BD), que conta com 114 mil associados, sendo que 102 mil já recebem benefícios garantidos pelo fundo. Do outro lado estão 86 mil associados que entraram a partir de 1997 no Plano de Contribuição Variável (CV), sendo 85 mil deles da ativa. Para o CV, os recursos devem ser garantidos até 2090.

No BD, que possui R$ 161 bilhões em ativos, a Previ era quem decidia e respondia pelas escolhas sobre os investimentos. As ações, como Vale, Petrobras ou Neo Energia, representam 46% do total de ativos no BD. Segundo Genso, 12 ações representam 95% da carteira. Por sua vez, a renda fixa representa 43% do total dos investimentos.

No CV, é o próprio participante que escolhe como investir de acordo com seu perfil. As ações no CV correspondem a 30% dos ativos e a renda fixa 53%. Para Genso, o percentual da renda variável deveria ser de 50% devido ao perfil mais jovem dos participantes.

A estratégia da Previ foca na comunicação, para conscientizar e ensinar os participantes sobre como acompanhar e suportar as quedas momentâneas do mercado financeiro. Para isso, o fundo está enviando mensalmente seus balanços detalhados a todos os participantes, para que veja os resultados dos investimentos e onde o dinheiro está aplicado. A ideia é fazer com que os participantes reflitam sobre as oportunidades e cenários.

“Essas pessoas que ainda têm 20 anos para se aposentar deveriam estar aproveitando para correr risco agora para alavancar os ganhos, ainda mais com os juros caindo”, comentou o presidente da Previ.

Confira a matéria completa da Revista Exame sobre o tema.

Fonte: Agência ANABB