× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

Ação da Cidadania em risco

A ANABB e o Instituto VIVA CIDADANIA se declaram contra a ação de despejo e apoiam a petição


Em 24.05.2017 às 15:44 Compartilhe:

A ONG Ação da Cidadania Contra a Fome, Miséria e Pela Vida, fundada há 24 anos pelo sociólogo e ativista Herbert de Souza, o Betinho, com sede localizada na Zona Portuária do Rio de Janeiro, está correndo o risco de ser desalojada pela Prefeitura Municipal e pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). A intenção dos órgãos é utilizar o Galpão Docas Pedro II, popularmente conhecido como Galpão da Cidadania de mais de seis mil metros quadrados para abrigar um museu.

O espaço que é utilizado pela ONG há 17 anos desenvolve projetos de capacitação e empreendedorismo para a população carente e além disso, abriga o Centro Cultural Ação da Cidadania utilizado para eventos, filmagens, festivais, feiras, congresso e seminários. Para tentar evitar o despejo a Ação da Cidadania lançou uma petição on-line (Assine aqui) e a hashtag (#FicaAção) para ser compartilhada nas redes sociais. 

A ANABB e o Instituto VIVA CIDADANIA,que são apoiadores de vários comités de cidadania e estão entre as entidades patrocinadoras do filme “Betinho, a Esperança Equilibrista” e do livro AÇÃO DA CIDADANIA – 20 ANOS, se declaram contra a ação de despejo e apoiam a petição. É preciso que o trabalho realizado pela Ação da Cidadania naquele espaço seja respeitado.

Douglas Scortegagna, presidente do Instituto VIVA CIDADANIA, faz um apelo aos funcionários do Banco do Brasil : ”Peço que todos os que sempre se sensibilizaram com a iniciativa do Betinho, desde 1993, se solidarizem com a ONG Ação da Cidadania e assinem a petição, pela importância que àquela entidade representa para continuidade dos trabalhos sociais que realiza.” 

A ameaça de despejo ocorre em meio a uma transição das atividades da entidade. Voltada ao combate à fome e à miséria, a ONG decidiu ampliar suas ações para projetos de empreendedorismo e cultura e conta com àquele espaço para dar sequência aos trabalhos.

Mídia comenta a ação de despejo

No domingo, 27/5, o Jornal do Rio, da emissora Band, divulgou reportagem sobre a situação do galpão onde a Ação da Cidadania funciona. A matéria começa dizendo que o galpão já é a cara do projeto. O presidente do Conselho Nacional da ONG, Daniel Souza, filho do Betinho, diz na reportagem que “desde o telhado, passando pela parte hidráulica, elétrica, essas colunas, tudo o que vocês vêem aqui neste armazém hoje foi totalmente refeito”.

Em seguida, o repórter fala sobre como o galpão, ao longo do tempo, virou um espaço de fomento à cultura, desenvolvimento social e empreendedorismo, tudo para reduzir a desigualdade. Hoje, no local, são ministradas aulas de audiovisual, gastronomia, circo, em espaço projetado especialmente para isso. Daniel ainda comentou sobre os planos da ONG: “O que que a gente vai fazer nos próximos 25 anos? E aí é que a gente entra com esse novo foco, que é trabalhar com inovação, cidadania, capacitação, muito voltado para os jovens”.

Em nota, a Secretaria Municipal de Cultura alegou que a intenção é usar o local para interligar as ações de matrizes africanas na zona portuária do Rio. No entanto, segundo Rodrigo Afonso, diretor executivo da Ação da Cidadania, a ONG apresentou projeto semelhante para funcionar no mesmo local. Mas a prefeitura não teria aceitado uma gestão compartilhada do galpão.

Por último, a reportagem diz que a ONG planeja entrar com uma ação na justiça para se manter no espaço. E Rodrigo Afonso justifica a permanência da ONG no local: “A gente investe R$ 15 milhões em um galpão como esse. E ele só está de pé hoje porque a gente existe”.

Veja também a matéria publicada pelo jornal O Globo sobre os projetos futuros da ONG e sobre a ação de despejo.

Fonte: Agência ANABB