× Modal
< Voltar


Cassi

Memorando de entendimento da proposta para a Cassi foi assinado na última sexta-feira, dia 21

Em seguida, o documento será formatado para consulta ao Corpo Social, por meio de votação


Em 26.10.2016 às 13:13 Compartilhe:

Foi assinado na última sexta-feira, 21 de outubro, o Memorando de Entendimentos entre o Banco do Brasil e as Entidades de Representação dos Funcionários e Aposentados sobre a proposta que trata da sustentabilidade da Cassi, construída na Mesa de Negociações. Após a assinatura, o memorando foi encaminhando para aprovação da Diretoria e do Conselho Deliberativo da Cassi, que deverão se manifestar sobre o assunto. Em seguida, o documento será formatado para consulta ao Corpo Social, por meio de votação.

A consulta ao Corpo Social da Cassi é parte obrigatória do processo, em conformidade com o Estatuto da Cassi, uma vez que a proposta prevê entrada de recursos financeiros de cerca R$ 40 milhões mensais, sendo R$ 23 milhões pelo Banco do Brasil, via ressarcimento de serviços, e R$ 17 milhões pelos associados, via contribuição extraordinária e temporária de 1% até dezembro de 2019.

O Memorando contempla o detalhamento da proposta apresentada na Mesa, que aborda os seguintes aspectos:

  • Governança, gestão e operacionalização da Cassi, por meio do desenvolvimento de projetos, com o apoio de empresa especializada de consultoria para análise e revisão de processos e sistemas. Também busca o aperfeiçoamento do modelo de gestão e de governança e dos processos internos, a redução de despesas, a viabilização de parcerias estratégicas e a criação de mecanismos de uso racional dos serviços do sistema integrado de saúde da Cassi.
  • Contribuição temporária e extraordinária dos Participantes do Plano de Associados de 1% sobre salários e benefícios de aposentadoria até dezembro de 2019.
  • Ressarcimento temporário e extraordinário de despesas pelo patrocinador - Banco do Brasil – no total de R$ 23 milhões por mês, com o valor sendo reajustado anualmente por índice oficial a ser estabelecido, de comum acordo, entre Banco do Brasil e Cassi, aprovado em suas respectivas instâncias decisórias.
  • Prestação de contas relativa ao andamento dos trabalhos e à implementação dos projetos trimestralmente, ao Patrocinador e ao Corpo Social, e às Entidades Representativas que compõem a Mesa de Negociação.
  • Melhoria da Auditoria e dos Controles internos com a instituição de estrutura de assessoramento ao Comitê de Auditoria (COAUD), a fim de oferecer melhores condições para exercer seu papel de apoio ao Conselho Deliberativo em relação à supervisão da gestão dos processos internos, inclusive o acompanhamento dos projetos.
  • Aperfeiçoamento do sistema de recrutamento e seleção dos funcionários, de forma que as contratações e promoções sejam realizadas por meio de processo institucional de seleção e ascensão.
  • Implementação de sistema de acompanhamento que possibilite a avaliação do desempenho operacional de todas as suas áreas, inclusive de atendimento receptivo, médico e de enfermagem, estabelecendo indicadores e metas, como por exemplo, Satisfação dos Participantes, Clima Organizacional, Controle das Despesas Assistenciais e Administrativas, dentre outros relacionados à sua gestão.

A avaliação das entidades é que a proposta construída não é a solução definitiva para a Cassi, mas dá um passo importante para melhoria da gestão. A implantação desta proposta, acompanhamento dos projetos e as soluções apontadas em cada área, juntamente com a ampliação do modelo de atenção integral à saúde, podem ser o caminho que esperamos para o equilíbrio e sustentabilidade da Cassi.

O próximo passo é o debate com os associados para que a proposta seja aprovada, para que tenhamos a entrada de novos recursos financeiros na Cassi, seja contratada a consultoria e que se dê início à primeira fase na execução dos projetos de melhoria de gestão.


 

Fonte: Agência ANABB