× Modal
< Voltar


Previ

Entidades vão ao governo pedir mudanças no projeto

Os representantes das entidades ficaram de apresentar em breve uma carta conjunta com o resumo das reivindicações para análise pelo Governo


Em 26.10.2016 às 12:37 Compartilhe:

Aconteceu, na manhã desta sexta-feira, 14/10, reunião entre entidades representativas do BB e o governo para tratar do projeto de Lei Complementar (PLP) nº 268/2016 que propõe mudanças na governança das entidades de previdência fechada. Os representantes Douglas Scortegagna e Haroldo Vieira (pela ANABB), Célia Larichia (pela AAFBB), e Isa Musa (pela FAABB) foram recebidos pelos assessores da Sub Chefia Adjunta da Secretaria de Análise e Acompanhamento de Políticas Governamentais, Érika Nassar, e Carlos Humberto Oliveira. O órgão é comandado por Marcelo de Lima Souza. 

Durante pouco mais de 1h30 os representantes das entidades expuseram os principais pontos do PLP 268 e ressaltaram: a defesa da gestão compartilhada, da paridade EM TODOS OS NÍVEIS de governança (Diretoria Executiva, Conselho Deliberativo e Conselho Fiscal); uma maior fiscalização dos fundos de pensão; e trataram também sobre o aumento de 5% no valor de alçada para investimentos aprovados pela Diretoria, este valor diz respeito aos recursos que a Diretoria pode usar para realizar investimentos sem ter que pedir autorização ao Conselho Deliberativo. Hoje, na Previ, o percentual é de 0,5%. Se o texto vier a ser aprovado como está, este aumento no valor de alçada, no caso da Caixa de Previdência, será de cerca de R$ 8 bilhões de reais, muito mais do que o patrimônio da maioria das empresas brasileiras.

Na reunião, os representantes das entidades também pediram pela retirada do regime de urgência em que se encontra o projeto, por entenderem que o tema merece uma análise mais aprofundada. Os representantes do governo se mostraram muito solícitos às reivindicações e demonstraram estar em consonância com muitos pontos do projeto defendidos pelas entidades que defendem os interesses dos funcionários do Banco do Brasil. 

Os representantes das entidades ficaram de apresentar em breve uma carta conjunta com o resumo das reivindicações para análise pelo Governo. 

 

Fonte: Agência ANABB