× Modal
< Voltar


Resumo da semana

Semana com poucos resultados mas com forte simbolismo político

A semana em Brasília foi marcada por decisões e atos com forte sentido político


Em 29.09.2011 às 00:00 Compartilhe:

A semana em Brasília foi marcada por decisões e atos com forte sentido político, especialmente a legalização do PSD, partido do prefeito Gilberto Kassab, o arquivamento do processo contra o deputado Valdemar Costa Neto (PR/SP), a confirmação de Ana Arraes pelo Senado como Ministra do TCU, além da aprovação da MP da bolsa verde e do projeto que cria a comissão de verdade. Houve, também, discussões e movimentos pela reforma política e contra a corrupção.

A criação do Partido Social Democrático - PSD foi o principal fato da semana. O partido, liderado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, nasce com mais de 50 parlamentares, reduzindo ainda mais a oposição ao governo Dilma. O DEM perdeu para o novo partido 18 parlamentares, 17 deputados e um senador, mas pode perder mais, já que nos próximos 30 dias qualquer parlamentar poderá migrar para a nova legenda sem risco da perda de mandato.

O Conselho de Ética da Câmara mandou para o arquivo o processo de cassação do deputado Valdemar Costa Neto (PR/SP). O deputado, um dos réus no processo do mensalão, sob exame no Supremo, escapa de mais uma denúncia de irregularidade em sua longa ficha de denúncias.

No Senado, o plenário confirmou a deputado Ana Arraes (PSB/PE), no cargo de ministra do Tribunal de Contas da União, além de ter aprovado a MP que amplia a bolsa família e cria a bolsa verde, uma renda para lavradores que preservem o meio ambiente, bem como o projeto de lei que cria a Comissão da Verdade, destinada a apurar violações aos direitos humanos entre 1946 e 1988, especialmente durante a ditadura militar.

No plenário do Senado também teve inicio as discussões sobre a reforma política, que deve ser votada nas próximas semanas. O Senado também deve votar, na próxima semana, o projeto que trata da distribuição dos royalties do petróleo, com maior participação dos estados não-produtores, e o projeto que regulamenta a 29, com mais recursos para a saúde, já de volta à Casa.

A crise no Judiciário por conta da declaração da ministra do STJ, Eliana Calmon, segundo a qual existem bandidos escondidos atrás de toga, quase teve um desfecho ruim para a imagem do Judiciário. O STF iria apreciar processo que retira os poderes do Conselho Nacional de Justiça de punir juízes corruptos. A votação foi adiada.

O caso curioso ou inusitado da semana foi o furto das vassouras espalhadas no gramado do Congresso em protesto contra a corrupção. Pessoas sem recursos para comprar vassouras novas viram naquele protesto a oportunidade para levar para casa uma novinha.

 

Antônio Augusto Queiroz. Analista político da ANABB desde 1996.

Fonte: Agência ANABB