× Modal
< Voltar


Observatórios Sociais

ANABB participa da implantação do Observatório Social de Natal

Na ocasião, foi aprovado o estatuto da entidade e eleitos e empossados os primeiros componentes do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal


Em 16.11.2015 às 00:00 Compartilhe:


O Observatório Social do Brasil (OSB) realizou na segunda-feira, 9 de novembro, em assembleia pública no auditório do Sebrae Rio Grande do Norte, o Observatório Social (OS) de Natal com a participação de várias entidades da sociedade civil, órgãos de controle e cidadãos comprometidos com o controle social da gestão pública. O Diretor Regional do RN, Hermínio Sobrinho, um dos articuladores da criação do OSB Natal, participou do evento representando a ANABB, que é parceira do Observatório Social do Brasil e mantenedora de vários OSB’s municipais.

Na ocasião, foi aprovado o estatuto da entidade e eleitos e empossados os primeiros componentes do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal. Foi conduzida à presidência, a aposentada do BB, Maria das Neves Valentim (Nevinha), que possui atuação destacada nos movimentos sociais.

Ainda será constituído o Conselho Consultivo. A entidade tem caráter apartidário e seus associados não podem ter vinculação ou comprometimento político-partidário e nem subordinação ao órgão público observado, no caso, a Prefeitura de Natal.

Como funciona o Observatório Social
O OS é um espaço democrático e apartidário, que reúne o maior número de entidades representativas da sociedade civil em sua estrutura. A entidade, que conta com o trabalho de muitos voluntários, tem como objetivo contribuir para a melhoria da gestão pública, atuando em favor da transparência e da qualidade na aplicação dos recursos públicos. A Rede de Observatórios Sociais do Brasil está presente em 103 cidades, de 18 estados brasileiros.

A ANABB conclama colegas da ativa e, particularmente, aposentados com experiência em auditoria, contabilidade, advocacia, entre outras atividades, a se colocarem à disposição dos Observatórios Sociais de suas cidades, na condição de voluntários a fim de colaborar para melhor acompanhamento dos gastos públicos e, assim, levar às futuras gerações um futuro muito melhor.

Fonte: Agência ANABB