× Modal
< Voltar


Previ

Presidente da Previ depõe na CPI dos Fundos de Pensão

Veja os principais temas respondidos pelo presidente da Previ durante depoimento na CPI


Em 11.09.2015 às 00:00 Compartilhe:


O presidente da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ), Gueitiro Matsuo Genso, prestou depoimento aos parlamentares da CPI dos Fundos de Pensão, na Câmara dos Deputados, em Brasília, para falar sobre a situação financeira e de investimentos da Previ, na quinta-feira (3/9).

A CPI é destinada a investigar denúncias de aplicação incorreta de recursos e manipulação de gestão nos fundos de previdência complementar de servidores públicos e de estatais entre 2003 e 2015. Além dos atuais presidentes dos principais fundos de pensão do país (Previ, Petros, Funcef e Postalis), também foram convocados para prestar esclarecimentos os diretores que atuaram no período de 2005 a 2015 à frente dos fundos de previdência complementar das empresas federais.

Veja os principais temas respondidos pelo presidente da Previ durante depoimento na CPI:

Bônus de Remuneração Variável
Ao ser questionado pelo deputado federal Marcus Pestana (PSDB/MG) em relação a um suposto bônus de R$ 500 mil que teria sido pago aos diretores da Caixa da Previdência, Genso afirmou que o Conselho Deliberativo da Previ é quem define salário, renumeração variável dos funcionários da Previ, assim como o da Diretoria Executiva. “Hoje, os salários dos funcionários em menor nível até os cargos de diretoria são de acordo com o Banco do Brasil, lá se tem a cultura de que temos direito até seis salários variáveis, por entrega de metas. É óbvio que fundo de pensão não tem que dar lucro, mais a entrega de metas de gestão, de alinhamento das decisões políticas, de gestão das despesas são iguais no Banco do Brasil com os funcionários de carreira, assim como é igual também o menor nível salarial. Isso foi aprovado por unanimidade pelo Conselho Deliberativo em maio deste ano, ou seja, o Conselho entendeu que esta renumeração estava adequada para fazer a gestão. Nos anos 2011, 2012 e 2013, a adequação dos salários dos diretores da Previ aos dos diretores do Banco tinha a renumeração variável e ela foi paga”, relata Gueitiro.

Voto de Minerva
Ainda respondendo ao deputado Marcus Pestana, Gueitiro Genso afirmou não ter conhecimento de recurso que tenha sido reprovado na Diretoria Executiva da Previ e que foi pedido para o Conselho Deliberativo aprovar. “Nesses 104 anos, seguindo um pouco da cultura interna do Banco, quando em um investimento você tem que usar um Voto de Minerva pode ser que existam opiniões divergentes e isso não é bom para o investimento. Não faz parte da cultura da Previ levar um recurso, porque se foram três a três na diretoria, também será no Conselho, então não utilizamos Voto de Minerva como recurso para o Conselho”, destacou.

Teto dos Estatutários
Em relação ao Teto dos Estatutários, Genso relatou que existe um grupo de estudo na Previ para tratar o assunto e que há uma previsão para ser constituído um teto. “Hoje, temos um limite de pagamento de aposentadoria. Tanto o funcionário que se aposentou em um menor nível hierárquico até aquele que chegou a presidência do Banco, usamos como cálculo de aposentadoria a média dos 36 últimos salários. Isso serve para todos e já consideramos esses valores dentro da reserva matemática. Ressalto que não existe nada na Lei que diz que tem que haver um teto de valor. O debate de se estabelecer um teto está sendo feito dentro da Previ e queremos chegar a um valor. Nos próximos meses, devemos apresentar
um consenso, até porque entendo que é bom para o nosso plano”, afirmou.

Petrobrás
Gueitiro também falou sobre as providências que foram tomadas em relação às irregularidades na Petrobrás. Segundo ele, foi contratado um assessor jurídico especializado no tema que estudou qual é a adequabilidade da lei brasileira à lei americana, recomendou várias ações administrativas, tais como solicitar que a CIA agisse contra os recursos desviados.

O presidente da Previ também detalhou sobre investimentos feitos pela Caixa de Previdência, sobre a CGPC nº 26, o processo de escolha de conselheiros, entre outras questões.

Veja a apresentação feita por Gueitiro Genso durante o depoimento.

Acompanhe os vídeos do depoimento do presidente da Previ na CPI.

Fonte: Agência ANABB