× Modal
< Voltar


ANABB

É falso que a ANABB tenha dobrado o número de funcionários

É falso que a ANABB tenha dobrado o número de funcionários


Em 16.06.2015 às 00:00 Compartilhe:

 

Tem circulado na internet declarações afirmando, sem qualquer fundamento, que a ANABB teria praticamente dobrado o número de funcionários desde a posse da atual Diretoria, em janeiro de 2012.

A verdade, sem retoques, é que o número de funcionários da ANABB passou de 130 em janeiro de 2012 para 143 em abril de 2015, conforme dados oficiais do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED, enviados pelas respectivas Diretorias da ANABB (anterior e atual) ao Ministério do Trabalho e Emprego. O aumento no quadro funcional, portanto, foi de apenas 10% em 3 anos e 4 meses.

Isso é plenamente justificável por fatores como:

 

a) a Diretoria da ANABB, em 2012, resolveu trazer para dentro da Associação os serviços que eram prestados por 2 escritórios contratados pela Diretoria anterior para dar prosseguimento aos serviços jurídicos das ações de associados que revogaram as procurações outorgadas ao Dr. Ivo Evangelista. Foram contratados como funcionários da ANABB alguns advogados dos 2 escritórios e foi aberto processo seletivo para as demais vagas. O custo do setor jurídico interno criado apenas para este fim é semelhante ao custo dos 2 escritórios. Com a ANABB tendo maior controle e acompanhamento do trabalho realizado, os resultados conquistados para os associados têm sido muito positivos. Apenas em 2014, foram liquidados pelo referido setor R$ 14.026.836,66 referentes a ações judiciais e foram restabelecidas as tramitações de mais de 100 processos que estavam parados;

b) foram contratados, na condição de funcionários, 4 agentes de portaria que prestavam serviços à ANABB mediante contrato de terceirização feito pela Diretoria anterior. A Diretoria atual decidiu pela contratação por constatar que os custos da terceirização superavam os custos da contratação direta. Hoje os agentes de portaria ganham mais do que antes e a ANABB gasta menos do que pagava à empresa terceirizada;

c) foi contratado, como funcionário, 1 prestador de serviços terceirizados de informática, que dispunha de sala completa na ANABB, trazendo riscos trabalhistas para a Associação. Os gastos salariais são equivalentes aos valores do contrato de terceirização, com maior segurança para a ANABB, que também passou a poder gerir diretamente o trabalho do empregado, o qual tem agora mais garantias legais;

d) foram contratadas 2 funcionárias, mediante processo seletivo, para compor as novas áreas de Ouvidoria e Compliance da ANABB, criadas em 2013, com aprovação do Conselho Deliberativo.

Para que o associado tenha uma noção mais abrangente do contexto que cerca a política de pessoal que foi implementada pela nova Diretoria, é importante lembrar outras providências que foram tomadas:

a) os atuais integrantes da Diretoria Executiva abriram mão voluntariamente dos abonos equivalentes a PLR do Banco do Brasil que eram pagos aos dirigentes  da gestão anterior, propiciando uma revisão do PCS - Plano de Cargos e Salários. Com isso, os salários dos funcionários da ANABB foram alinhados  aos dos trabalhadores do mercado, sem acréscimo de custos na folha de pagamentos;

b) foi corrigida a prática de pagar salários diferenciados para funcionários com mesmas atribuições, em virtude da concessão indiscriminada, pela Diretoria anterior, de Adicional de Caráter Pessoal – ACP, sem definição de qualquer critério escrito;

c) foi implementada pela Diretoria atual uma política de combate ao nepotismo, proibindo-se a contratação de parentes até o 3º grau de integrantes da Diretoria Executiva, do Conselho Deliberativo, do Conselho Fiscal e das Diretorias Regionais.

Fonte: Agência ANABB