× Modal
< Voltar


ANABB

Fique atento: Dirigentes da ANABB renunciaram a PLR há três anos

Quaisquer informações que sejam divulgadas aleatoriamente sobre esse assunto são inverídicas


Em 26.03.2015 às 00:00 Compartilhe:

 

A ANABB não paga “PLR” para os seus dirigentes nem qualquer tipo de abono variável. Essa é a verdadeira decisão que foi tomada pela Diretoria Executiva da ANABB no início do seu mandato em 2012.

Todos os dirigentes, que estão atualmente na ANABB, renunciaram ao pagamento dessa remuneração. Sendo assim, quaisquer informações que sejam divulgadas aleatoriamente sobre esse assunto são inverídicas. 

A ANABB ratifica seu posicionamento de manter o compromisso com a democracia, com a transparência e com a ética na gestão. O foco dos novos dirigentes é fazer uma administração voltada para os associados, para o fortalecimento da ANABB e para a defesa de um Banco do Brasil útil à sociedade.

A afirmação supostamente divulgada pelo ex-Diretor da Previ, Sr. Francisco Ferreira Alexandre, de que os dirigentes da ANABB recebem PLR é falsa e sem compromisso com a verdade. O autor dessa afirmação nem mesmo procurou consultar a “Aba Transparência” no site da ANABB, onde constam todas as atas com todas as decisões da Diretoria Executiva, e dos Conselhos Deliberativo e Fiscal.

 

RENÚNCIA DA PLR
A atual gestão da ANABB tomou posse em janeiro de 2012. Dois meses depois, em março de 2012, a Diretoria Executiva foi comunicada, pela área financeira, da previsão de pagamento de “PLR” aos dirigentes da ANABB.  A Diretoria Executiva, imediatamente, pediu esclarecimentos ao então vice-presidente de Relações Funcionais, Sr. Emilio Ribas, ex-presidente da ANABB sobre a previsão de pagamento de “PLR” numa entidade sem fins lucrativos.

O Sr. Emílio informou que este pagamento teria amparo no Convênio de Cessão de Funcionários firmado entre o Banco do Brasil e a ANABB, que previa, para os funcionários da ativa, cedidos, o pagamento dos salários, vantagens e benefícios previstos na política do Banco, em acordos coletivos ou em dissídios. Acrescentou, ainda, que tal pagamento também tinha amparo no parágrafo sétimo da cláusula terceira do Acordo Coletivo de Trabalho dos empregados da ANABB, que não tratava esse valor como “PLR”, mas como “abono salarial”:

“Cláusula Terceira – Abono Salarial: Farão jus ao abono salarial, acordo 2011/2012, os empregados da ANABB que permaneciam registrados no período de 01.09.2010 a 31.08.2011 e ainda registrado na ANABB na data da assinatura do presente acordo coletivo, nas seguintes condições:
Parágrafo Primeiro: 1,47 salário bruto, correspondente ao valor estabelecido para cada um dos funcionários e seu enquadramento na tabela de Cargos e Funções, do Plano de Cargos e Salários da ANABB, vigente até 31 de agosto de 2011.
[...]
Parágrafo Sétimo: Para os cargos de administradores I, II, III, IV e V, o abono será equivalente aos valores praticados pelo Banco do Brasil, nas datas e condições estabelecidas no acordo de PLR (Participação nos Lucros e Resultados) celebrado com seus empregados.”

Administrador I – Presidente da ANABB
Administrador II – Vice-Presidente da ANABB
Administrador III – Presidente da Coop-ANABB
Administrador IV – Diretores da Coop-ANABB
Administrador V – referência sem função

O Sr. Emílio explicou que, como os dirigentes que ainda estavam na ativa teriam direito ao recebimento da “PLR”, por isonomia, esse direito havia sido estendido, pela direção anterior, aos demais dirigentes da ANABB que já estavam aposentados.

Na reunião da Diretoria Executiva de 3 de abril de 2012, os membros da Diretoria Executiva, Sergio Riede, Reinaldo Fujimoto e Fernando Amaral, decidiram registrar em ata suas renúncias ao direito de recebimento dessa verba desde o dia de suas respectivas posses.

A Diretoria Executiva também aprovou, por unanimidade, solicitar ao Conselho Deliberativo que aprovasse orientação no sentido da extinção dessa verba para os dirigentes da ANABB, ANABBPrev e Coop-ANABB, na negociação coletiva de setembro de 2012.

Entretanto, foi pago o “abono salarial” para os dirigentes da ANABB da gestão anterior, com base no Acordo Coletivo de Trabalho em vigência.

Em março de 2012, renunciaram ao mandato os vice-presidentes Emílio Ribas e Cecília Garcez. Nesse mesmo mês, foi empossado como vice-presidente o Sr. Douglas Scortegagna que, ao tomar posse, imediatamente também renunciou a esse direito. E em junho de 2012, tomou posse na Diretoria Executiva a Sra. Tereza Godoy que, também imediatamente renunciou a esse direito.

Quando do processo negocial do Acordo Coletivo de 2012/2014, a Diretoria Executiva constatou que a informação fornecida pelo ex-presidente Emílio Ribas, no início da gestão estava incorreta. Na verdade, o Convênio de Cessão de Funcionários firmado entre o Banco do Brasil e a ANABB, dizia mais do que fora mostrado no início do ano. Dizia o seguinte:

“Cláusula Quarta: Durante o período de cessão, o Banco continuará processando a folha de pagamento dos empregados cedidos, mediante ressarcimento mensal, pela ANABB, de todas as despesas decorrentes da disponibilização.
Parágrafo Primeiro: A ANABB se responsabilizará, também, pelos encargos decorrentes do vínculo empregatício, cotas patronais devidas à Caixa de Previdência doa Funcionários do Banco do Brasil – Previ e à Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil – Cassi, bem assim por quaisquer ônus que a qualquer tempo venham a ser imputados ao BANCO, em decorrência da cessão.
[...]
Cláusula Sexta – Fica assegurado aos empregados cedidos, o vínculo à atual política de remuneração do BANCO e aos benefícios decorrentes de acordos ou dissídios coletivos, exceto o pagamento de PLR (Participação nos Lucros e Resultados).”

Diante da solicitação, por parte dos antigos diretores da ANABB, de pagamento do “abono salarial” (com valor equivalente a PLR do BB), no segundo semestre de 2012, a Diretoria Executiva solicitou parecer jurídico sobre a possibilidade legal do não pagamento aos antigos gestores. Foi informada de que, legalmente, estes tinham direito por força dos termos do Acordo Coletivo de Trabalho.

Assim, a atual Diretoria Executiva ainda teve que pagar o valor do “abono salarial”, proporcional aos dias que cada antigo dirigente exerceu as funções de presidente ou vice-presidente da ANABB, no semestre anterior.

Vale registrar que, embora a cláusula do Acordo Coletivo de Trabalho previsse o pagamento do “abono salarial” também para os dirigentes da Coop-ANABB, estes só receberam esse “abono” até o ano de 2008.

PLR NA CASSI E NA PREVI
Quanto aos pagamentos de PLR para os funcionários cedidos pelo Banco para a Cassi e para a Previ, a ANABB entende que todos devem receber a PLR, porque todos, de fato, ajudam a fazer o resultado do BB.

O que a ANABB contesta é o pagamento a dirigentes da Previ, com recursos do fundo administrativo, de Bônus de Remuneração Variável criado especificamente para os dirigentes estatutários do BB.

E também contesta a falta de um teto de contribuições e benefícios na Previ, permitindo que os dirigentes estatutários do BB se aposentem com rendimentos inflados pelo empilhamento de verbas que não entram no cálculo de benefícios dos demais participantes.

Os dirigentes atuais da ANABB entendem que o mandato que exercem é em nome dos que os elegeram e que, em nome destes, devem zelar pelos recursos de todos, sem privilégios para alguns.

MENSAGEM FALSA
A Diretoria da ANABB foi surpreendida na terça-feira, 24/03/2015, por uma matéria mentirosa supostamente produzida e divulgada pelo ex-Diretor da Previ, Sr. Francisco Ferreira Alexandre, que afirmava que os atuais dirigentes da ANABB criticavam o pagamento de PLR para os funcionários cedidos da Cassi e da Previ, ao mesmo tempo em que pagavam para si próprios PLR da ANABB.

A ANABB acredita que a informação divulgada é oriunda de desconhecimento sobre a atual gestão da Associação. Ainda assim, a Diretoria Executiva da ANABB vai formalizar interpelação extra-judicial ao Sr. Francisco Alexandre para que confirme ou negue as afirmações divulgadas.

Tendo em vista o compromisso dos atuais dirigentes da Associação com a transparência, divulgamos, a título de curiosidade, a íntegra da mensagem publicada com ataques à ANABB.  

Diretoria Executiva da ANABB

Fonte: Agência ANABB