× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

Reestruturação da área internacional do BB poderá ter impactos na sociedade

A área econômica de diversos estados e o atendimento aos clientes podem ser afetados


Em 08.12.2014 às 00:00 Compartilhe:


O processo de reestruturação da área internacional do BB poderá trazer consequências significativas na vida de muita gente. Além de afetar a vida dos funcionários e de suas famílias - em decorrência da redução do quadro, extinção de gerencias e realocação de pessoas - o plano poderá impactar na área econômica de diversos estados e no atendimento aos clientes.

No Espírito Santo, por exemplo, será extinta a GECEX (Gerências de Apoio ao Comércio Exterior), restando somente três gerentes de negócios internacionais, vinculados à GECEX/RJ. Esse setor tem a atribuição, como o nome diz, de gerar negócios junto aos clientes de todo o estado do Espírito Santo no segmento de atacado e varejo. De acordo com o Sindicato dos Bancários do ES, a reestruturação impactará, entre outros, no atendimento aos pequenos e médios empresários capixabas que lidam com o comércio exterior e ficarão sem o atendimento presencial da gerência de negócios. O estado ocupa hoje a terceira posição no Brasil em volume de negócios internacionais.

O plano de reestruturação prevê ainda a extinção das unidades GECEXs de Caxias do Sul/RS e Fortaleza/CE, afetando a vida de várias famílias. Nesses estados, há também a preocupação com o mercado empresarial, que depende de serviços de qualidade para fomentar os negócios internacionais.

PLANO SUSPENSO
Em decorrência das manifestações ocorridas em vários estados, o Banco do Brasil decidiu prorrogar o prazo para a readequação do quadro das dependências até 12 de janeiro de 2015.

A resposta do Banco veio depois de ofício enviado pela Contraf-CUT solicitando a suspensão do processo em razão dos problemas nas diversas localidades, tais como dificuldade de realocação e perdas provocadas pelo não dimensionamento do plano. De acordo com a Contraf-CUT, novas reuniões com o BB serão agendadas para apresentação de soluções aos problemas dos funcionários.

ATUAÇÃO NOS ESTADOS
Além das manifestações organizadas por alguns sindicatos dos bancários locais, outras ações estão sendo tomadas desde o início de novembro em busca de soluções para o caso como audiências públicas, votações de moção de apoio à suspensão do processo de reestruturação por Câmaras de Vereadores.

A ação mais recente aconteceu no fim de novembro quando dirigentes do Comando Nacional e da Contraf-CUT pediram apoio ao ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini.

Os dirigentes entregaram ao ministro dois documentos cobrando mudanças na gestão e na relação do Banco Brasil com os seus funcionários. Na reunião, o presidente do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre, Everton Gimenis, entregou uma carta que pede a atuação do ministro pelo fim da reestruturação das Gerências Regionais de Comércio Exterior (Gecex) do BB em todo o país, incluindo o cancelamento da transferência de colegas lotados na capital gaúcha para Curitiba.

Berzoini, que é funcionário do BB, foi muito receptivo e disse que encaminharia a demanda dos bancários à diretoria do Banco do Brasil.

Leia também
Reestruturação interna do BB gera revolta e mobilização

Fonte: Agência ANABB com informações da Contraf-Cut