× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

ANABB participa de audiência com o deputado Ricardo Berzoini

Participaram o presidente da ANABB, Sergio Riede, e o vice-presidente de Relações Institucionais, Fernando Amaral


Em 01.11.2013 às 00:00 Compartilhe:


A ANABB participou de uma reunião, no dia 30 de outubro, no gabinete do deputado federal Ricardo Berzoini (PT/SP), que também é funcionário do BB, para debater temas relevantes para o Banco do Brasil, seus funcionários e aposentados.
 
Participaram da audiência, o presidente da ANABB , Sergio Riede, e o vice-presidente de Relações Institucionais, Fernando Amaral, bem como a equipe da assessoria parlamentar da entidade.

Entre os pontos debatidos, estão questões relativas a atuação e os limites dados às autogestões em saúde pela Agência Nacional de Saúde(ANS); os projetos estratégicos para o Banco do Brasil aperfeiçoar seu relacionamento com os funcionários e a sociedade; os correspondentes bancários; e o Projeto de Lei Complementar (PLP) nº  161/2012, de autoria do deputado, que busca revisar as leis 108 e 109, que regem a previdência complementar fechada no Brasil.

No tocante à saúde suplementar, a ANABB relatou o trabalho que está fazendo no sentido de fortalecer as entidades de autogestão, citou o seminário ANABB – Cassi: Sustentabilidade e Qualidade na Saúde Suplementar, que tratou do tema neste ano, e ressaltou a necessidade da ANS ter entre seus diretores um representante do segmento de autogestão, para que em um colegiado plural, com visões múltiplas, a saúde suplementar no Brasil se fortaleça e se aprimore, garantindo serviços de melhor qualidade para os usuários. O parlamentar apoiou o posicionamento da ANABB e se comprometeu em contribuir na articulação no Congresso Nacional para o fortalecimento do papel das autogestões no segmento de saúde suplementar.

Com relação aos projetos estratégicos para o Banco do Brasil, Fernando Amaral expôs que a ANABB tem como objetivo a defesa de um Banco do Brasil útil à sociedade e que a entidade está preparando para o ano que vem o projeto Repensando Estrategicamente o Banco do Brasil. “Esse projeto terá como foco debater como o banco se relaciona com seus clientes e seu papel público, bem como apresentar propostas de um Banco público ideal para a sociedade”, disse Amaral. 

O parlamentar sugeriu temas que podem ser avaliados para aperfeiçoar a ideia, como, por exemplo, a legislação dos correspondentes bancários, que podem cumprir uma função de aumentar a bancarização em lugares onde não há condições de ter agências, mas que precisam de uma regulamentação específica para que não haja uma precarização do serviço ou a terceirização do trabalhador bancário. “Estou estudando a possibilidade de apresentar um projeto de lei para regulamentar os correspondentes e quero participar da construção de um Banco do Brasil útil à sociedade”, disse Berzoini.

No âmbito da previdência complementar e do PLP 161, Sergio Riede enfatizou que a ANABB está promovendo um abaixo-assinado em que apoia o Projeto de Decreto Legislativo (PDS 275/2012), do senador Paulo Bauer (PSDB-SC), e o próprio PLP 161/2012, e elencou pontos no projeto de lei do deputado que merecem  maior atenção e reflexão para que cumpra sua finalidade. “Entendemos que ambos projetos, embora tenham naturezas distintas, visam dar um passo a mais no fortalecimento do sistema de previdência complementar fechada e suas entidades, inibindo a saída de recursos dos fundos de pensão que não sejam na forma de benefícios a seus participantes”, disse Riede.

De acordo com o deputado Ricardo Berzoini, a intenção ao apresentar o projeto não era entregar algo pronto e acabado, mas sim uma base que pudesse ser aperfeiçoada a partir de sugestões e críticas dos interessados no tema. “Por isso, estou disposto a receber as contribuições da ANABB”, completou o parlamentar.

A ANABB avalia que o deputado Ricardo Berzoini se mostrou aberto ao diálogo e ao debate, bem como se colocou à disposição para auxiliar no que for preciso para atingir os objetivos da entidade, que é a defesa de um Banco do Brasil útil à sociedade e dos interesses legítimos do funcionalismo do Banco do Brasil. 

Fonte: Agência ANABB