× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

Brasileiros diminuem busca por crédito no primeiro semestre

Embora a queda seja pequena, de 0,3%, representa uma estagnação da procura por empréstimo, que antes estava em ascensão


Em 16.08.2013 às 00:00 Compartilhe:


Os brasileiros recorreram menos ao crédito no primeiro semestre de 2013, na comparação com o mesmo período do ano passado. Embora a queda seja pequena, de 0,3%, representa uma estagnação da procura por empréstimo, que antes estava em ascensão. Para se ter uma ideia, na comparação entre 2011 e 2012, porém, houve aumento de 9,5%. Os dados são da Boa Vista Serviços, administradora do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), e indicam também uma diminuição da confiança do consumidor.

Economista da Boa Vista Serviços, Flávio Calife acredita que a redução é resultado de uma maior descrença em relação ao mercado em função da inflação, considerada alta. “Com a subida dos preços, as pessoas ficam receosas ao consumir, e como boa parte das compras é feita no crédito, o setor acaba sendo atingido”, explica. Além disso, bancos e empresas do varejo dificultaram a concessão de empréstimos, com uma maior burocracia, reagindo a uma maior taxa de inadimplência.

Entre as instituições financeiras, como bancos, um aumento de 1,3% na procura por crédito ocorreu nos seis primeiros meses do ano, enquanto nas não financeiras, como empresas do setor de varejo, houve queda de 1,4%. A justificativa é a adequação tardia do varejo às taxas de inadimplência. “Os bancos perceberam isso antes e mudaram, já tendo passado por esse estágio que as instituições não financeiras estão vivendo agora”, afirma.

Empréstimos para o Natal
Em junho, embora tenha caído 0,1% em relação ao mesmo mês de 2012, a demanda por crédito cresceu 3% na comparação com maio de 2013, uma tendência que deve se estender pelo resto do ano. Tradicionalmente, o segundo semestre é um período de maior procura por empréstimos, em função de datas como o Natal. “Tudo leva a crer que a situação vai melhorar, embora não estejamos passando por um mal momento, pois 2013 vem se destacando por uma estabilidade no setor”, diz Calife.

Até o momento, os juros, atualmente em 8,5%, vêm tendo pouco efeito sobre a demanda por crédito. De acordo com Calife, o número não está chegando ao consumidor e, mesmo que suba, não ultrapassará os 10,5% que chegou a atingir no começo de 2012.

Fonte: Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra