× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

Conferência Nacional dos Bancários aprova pauta da Campanha 2013

A pauta de reivindicações será entregue a Fenaban no dia 30 de julho


Em 23.07.2013 às 00:00 Compartilhe:


Foi aprovada na 15ª Conferência Nacional dos Bancários a pauta de reivindicações da Campanha 2013. O evento organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-Cut) aconteceu no último fim de semana, de 19 a 21/07, em São Paulo e contou com a presença de 629 pessoas. A ANABB acompanhou os três dias de evento e esteve representada por assessores da Vice-presidência de Relações Institucionais. 

As principais reivindicações para a campanha deste ano serão o reajuste de 11,93% (inflação projetada do período mais aumento real de 5%); valorização do piso salarial no valor do salário mínimo calculado pelo Diesse (R$2.860,21); defesa do emprego, fim da terceirização e combate às metas abusivas e ao assédio moral.

A previsão da Contraf-Cut é que até o dia 29/07 sejam realizadas assembleias com os bancários de todo o país para aprovação da pauta definida na 15ª Conferência. A pauta de reivindicações será entregue a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) no dia 30 de julho.

Conheça as reivindicações da Campanha 2013:

  • Reajuste salarial de 11,93%: 5% de aumento real, além da inflação projetada de 6,6%;
  • PLR: três salários mais R$ 5.553,15;
  • Piso: R$ 2.860,21 (salário mínimo do Dieese);
  • Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$ 678 ao mês para cada (salário mínimo nacional);
  • Melhores condições de trabalho com o fim das metas abusivas e do assédio moral;
  • Emprego: fim das demissões, mais contratações, aumento da inclusão bancária, combate às terceirizações, especialmente ao PL 4330 que libera geral e precariza as condições de trabalho, além da aprovação da Convenção 158 da OIT, que proíbe as dispensas imotivadas;
  • Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS): para todos os bancários;
  • Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós;
  • Prevenção contra assaltos e sequestros, com fim da guarda das chaves de cofres e agências por bancários;
  • Igualdade de oportunidades para bancários e bancárias, com a contratação de pelo menos 20% de trabalhadores afro-descendentes;

 

Fonte: Agência ANABB