× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

Anvisa alerta sobre ressonância magnética de crânio

Óbitos ocorreram em Campinas depois da realização dos exames com uso de soro e contraste


Em 01.02.2013 às 00:00 Compartilhe:


A morte de três pessoas após ressonâncias magnéticas em Campinas (SP) levou a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a emitir alerta nacional para lotes de soros e contrastes usados nos exames. As mortes ocorreram no dia 28 de janeiro, após os pacientes - dois homens de 36 e 39 anos e uma mulher de 25 - passarem por ressonância magnética de crânio, com uso de soro e contraste.
 
As causas das mortes ainda são desconhecidas. Resultados de exames de sangue apontaram altos índices de uma enzima comum quando há lesão no fígado ou músculos. Os resultados podem indicar mais chances das mortes terem sido causadas por substâncias químicas, e não por micro-organismos, como bactérias.
 
Lotes de três soros fisiológicos (Eurofarma, Samtec e Equipex) e de três contrastes de gadolínio (Magnevistan, da Bayer, e Dotarem, da Guerbet), estão interditados em todo estado. A Eurofarma disse que os lotes foram liberados após resultados normais. A Samtec se disse "pronta a colaborar". A Equiplex citou a "qualidade" do produto. A Guerbet disse que comunicou compradores de itens do lote. A Bayer iniciou investigação interna e disse que irá notificar compradores.

A Cassi está acompanhando atentamente o assunto e as novidades sobre o caso serão divulgadas em www.cassi.com.br.

Fonte: Folha de S.Paulo e Cassi