× Modal
< Voltar


Previ

Previ compra shopping e prédio comercial em projeto da Odebrecht

A Previ já possui investimentos em outros shoppings, como o Morumbi e o Barra Shopping


Em 05.11.2012 às 00:00 Compartilhe:


A Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, fechou a compra do shopping e de uma das torres corporativas do Condomínio Parque da Cidade, em São Paulo. O fundo pagará R$ 817 milhões para a Odebrecht Realizações Imobiliárias pela aquisição. O Parque da Cidade foi lançado em setembro como o maior empreendimento imobiliário de São Paulo, em área construída, e será erguido na Marginal Pinheiros, próximo do Morumbi. O complexo terá seis torres comerciais, duas residenciais, um shopping e um hotel, interligados por um parque.

"O Parque da Cidade está localizado em uma região que enxergamos como um provável novo centro comercial de São Paulo", afirma o diretor de investimentos da Previ, Renê Sanda. Ele também destaca que o negócio é alinhado às necessidade de um fundo de pensão como a Previ, que tem visão de longo prazo e precisa de fluxo de caixa para pagar benefícios atuais e futuros dos seus participantes.

A aquisição, explica, segue a política de investimentos definida ano passado, que busca aumentar a diversificação de suas aplicações, saindo um pouco da renda fixa. O fundo não investe em empreendimentos residenciais, apenas corporativos e shoppings.

A Previ já possui investimentos em outros shoppings, como o Morumbi e o Barra Shopping, e pela primeira vez será dona de um - adquiriu 100% do que integra o empreendimento. "O retorno dos nossos investimentos em shoppings tem sido bastante expressivos", afirma Sanda.
Paulo Melo, diretor regional da Odebrecht Realizações Imobiliárias, destaca que, fechado o investimento com a Previ, fica encerrada a busca por parceiros para a primeira fase do projeto. Já foram fechados investimentos para o hotel, um prédio de escritórios e uma outra torre corporativa. A construção deverá estar encerrada em 2016.

"Já conversávamos com a Previ há 18 meses, ates mesmo do início da implementação do projeto. Para nós ele é bastante especial e teve uma aceitação acima de nossas expectativas", afirma Melo. "O Parque Cidade tem um conceito de sustentabilidade, de economia de água e energia, de ser um projeto também aberto à população e com uma integração com seu entorno, que lhe conferiu grande valor agregado", diz.

A Previ também comenta que pesou para a decisão de investimento o fato de o projeto ter sido concebidos sob as certificações ambientais LEED, conferida pelo Green Building Council Brasil (GBC); e Aqua, de sustentabilidade imobiliária.

Dos recursos dispensados pela Previ, 90% virão do Plano 1, o seu plano de benefícios maior e mais antigo e que abriga os funcionários do Banco do Brasil admitidos até dezembro de 1997; e os 10% restantes virão do Previ Futuro, o plano mais jovem e em fase de acumulação de recursos. Os desembolsos serão realizados até 2015, dentro do cronograma das obras de construção do empreendimento.

Com a aquisição, a carteira imobiliária da Previ ultrapassa os R$ 8 bilhões, o que corresponde a 5% dos investimentos totais do Plano 1, da ordem de R$ 157 bilhões. Se somados as ativos do Previ Futuro, os recursos totais superam R$ 160 bilhões.

Os fundos de pensão podem investir até 8% no setor imobiliário. O crescimento de participação da Previ vem tanto de novos investimentos quanto da valorização dos que já estão em carteira. O segmento imobiliário da Previ tem apresentado retornos na casa de 20% a 30% ao ano desde 2008.

Fonte: Valor Econômico