× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

Juros para pessoas físicas caem para 5,81%

A taxa de juros média para pessoa física caiu 0,21% no mês de setembro


Em 15.10.2012 às 00:00 Compartilhe:


A taxa de juros média para pessoa física caiu 0,21% no mês de setembro, passando de 6,02% (101,68% ao ano), no mês anterior, para 5,81% (96,93% ao ano), o menor patamar da série histórica (iniciada em 1995).

Esta também é a primeira vez que o patamar é inferior a 100% ao ano, de acordo com levantamento da Anefac (Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).

A redução dos juros chegou pela primeira vez em 33 meses à cobrança no rotativo do cartão de crédito. A taxa passou de 10,69% em agosto para 10,41% no mês passado.

Em relação à Selic, a entidade aponta que a diminuição de cinco pontos percentuais da taxa (ou 40%), realizada pelo governo entre julho de 2011 a setembro de 2012 (de 12,50% ao ano para 7,50%), correspondeu a uma redução na taxa de juros média para pessoa física de 24,28 pontos percentuais (ou 20,03%), passando de 121,21% ao ano em julho de 2011 para 96,93% ao ano em setembro.

Nas operações de crédito para pessoa jurídica houve uma redução de 13,22% no mesmo período.

De acordo com Miguel Ribeiro de Oliveira, coordenador da pesquisa, a expectativa é que as taxas de juros voltem a ser reduzidas nos próximos meses em razão da melhora da economia. "E também pela maior competição no sistema financeiro após os bancos públicos promoverem reduções em suas taxas de juros, bem como com a expectativa de redução dos índices de inadimplência no segundo semestre", afirma Oliveira.

SEGMENTOS

No comércio, os juros passaram de 4,55% em agosto, para 4,20% em setembro.

No caso do cartão de crédito, a taxa média foi reduzida de 10,69% em agosto, para 10,41% no mês passado.

Já o cheque especial teve a taxa reduzida de 8,05% para 7,95%.

O crédito direto ao consumidor para financiamento de automóveis, de acordo com a entidade, passou de 1,70% em agosto, para 1,54% em setembro.

Os empréstimos pessoais feitos por bancos caíram de 3,45% para 3,27%.

No caso dos empréstimos pessoais de financeiras, a redução foi de 7,67% em agosto, para 7,51% em setembro.

Fonte: Folha de S.Paulo