× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

Dicas para evitar transtornos com falsos e-mails

Na dúvida, acesse o site verdadeiro ou entre em contato com a empresa citada na mensagem


Em 05.10.2012 às 00:00 Compartilhe:


É inegável que as novas tecnologias e, principalmente, a internet agilizaram a troca de informações no mundo contemporâneo. No entanto, nem todo conteúdo é verídico e, algumas vezes, pode ser uma disseminação de vírus ou mesmo um golpe.

É comum as pessoas receberem mensagens de desaparecidos, de fatos ocorridos em determinado local ou estabelecimento, fotos de tragédias, com imagens de pessoas mortas e mutiladas, que causam impacto emocional nos internautas. O problema ocorre quando a informação não é verdadeira e, mesmo assim, é estabelecida uma corrente de e-mails. Ou seja, as pessoas recebem o e-mail e vão passando para frente, sem confirmar a veracidade.

Assim o ciclo nunca acaba, tornando aquela mensagem falsa ou aquela lenda uma verdade absoluta. Um primeiro passo é conhecer o destinatário e saber se o fato é realmente verdadeiro. Se for preciso repassá-lo, uma dica é que, ao colocar Encaminhar (enc:) ou Foward (Fwd:), apague os e-mails contidos na mensagem anterior e coloque os destinatários em cópia oculta (cco:), para preservar a identidade desses e-mails, em caso de novo encaminhamento.

Outro caso, que pode trazer conseqüências piores, são os e-mails falsos, os chamados golpes online, que vem em nome de instituições, como órgãos públicos, bancos e lojas. O objetivo dessas mensagens pode ser capturar dados, como senha de bancos ou mesmo a entrada de vírus no computador do usuário. O procedimento dos golpistas é padrão. Eles utilizam nomes de empresas famosas para enviar e-mails falsos com ofertas, promoções e vantagens ou ameaças de protesto de títulos não pagos e necessidade urgente de atualização de dados. Ele podem também pedir que o internauta se recadastre em algum serviço ou atualize seus dados. Assim, eles coletam informações confidenciais das pessoas.

Por isso, é bom atentar para algumas dicas de segurança:

- Verifique se há erros de português, textos fora de formatação e a URL indicada. Geralmente, há erros de português ou palavra diferente do nome da instituição. Por exemplo: em vez de www.nomedobanco.com.br, o link é www.nomedobanco-sp.com.br.

- Empresas legítimas não hospedam seus sites em serviços de hospedagem gratuita, como HpG, Geocities, Lycos, Kit.Net ou Gratisweb.

- Desconfie de pedidos para enviar o e-mail para "o maior número de pessoas possível". Esta pode ser uma forma de distribuir o e-mail falso e atingir mais pessoas.

- Cheque ofertas válidas somente pela internet. Existem empresas que fazem ofertas válidas apenas pela internet, mas, quando são legítimas, sempre disponibilizam algum telefone de contato para atender o consumidor.

- Os internautas devem ficar atentos a ofertas que pedem o preenchimento de cadastros, entrada em links ou download de algum arquivo. É recomendável ignorar essas ofertas ou entrar em contato com a empresa responsável e verificar se são reais.

- Não clique em links cujo final termina em .exe. Caso receba um e-mail, veja se, ao passar o mouse por cima do link, o mesmo termina com .exe ou .zip. Nestes casos, não clique no link, pois o computador fará download de um arquivo executável, que poderá servir de espião em sua máquina e transmitir todo o tipo de informação ao criador programa.

- Consulte sites de pesquisa, como www.e-farsas.com

Essas são algumas dicas para se evitar futuros transtornos. Lembre-se que, na dúvida, você pode acessar o site verdadeiro que você conhece ou entrar em contato com a empresa citada para verificar a veracidade da informação. Além disso, nenhuma empresa oferece ofertas e serviços fantásticos gratuitamente e muito menos pedem para o usuário fazer um recadastramento por e-mail. Ao identificar um e-mail falso, não responda de forma alguma, caso contrário, você estará confirmando que seu e-mail é válido.

Fonte: Agência ANABB