× Modal
< Voltar


Banco do Brasil

Queda de juros leva BB a apostar na criação de corretora

No primeiro semestre de 2012, as operações de renda variável conduzidas pelo BB atingiram R$ 4,9 bilhões


Em 17.09.2012 às 00:00 Compartilhe:

 

O Banco do Brasil (BB) vai entrar de cabeça no mercado de capitais. Considerada prioritária pelo banco, a área será impulsionada pela constituição de uma nova corretora para agir junto a investidores e atuar em operações de abertura de capital.

"Muitos bancos de investimento não têm funding para oferecer para essas empresas que desejam emitir debêntures ou ofertar ações", disse ao Estado o vice-presidente atacado, mercado de capitais e novos negócios do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli. "Para fazer lançamento de ações,por exemplo, é preciso ter um banco com estrutura capaz de suprir necessidades emergenciais, como um empréstimo ponte antes da operação, e um relacionamento forte depois."

O BB também não descarta adquirir uma das corretoras que atuam na BM&FBovespa, deforma a agilizar processos, afirmou o executivo. Sua missão é associar a imagem da instituição financeira a essa área.

A nova realidade de juros baixos no País tem empurrado os bancos comerciais brasileiros para novos mercados, antes inexplorados, como o crédito imobiliário (ainda concentrado na Caixa), para o agronegócio (reduto do BB) e mercado de capitais (onde os bancos privados dominam, em especial os internacionais).

"Chegou a hora da verdade. Os bancos, todos eles, terão de aprender a ser bancos. O grande esforço, agora, está em ir além da relação bancária tradicional, de conta corrente e empréstimo", diz Caffarelli, para quem a economia brasileira vai iniciar em 2013 uma nova era.

"Talvez nunca tenhamos tido na história do Brasil um momento tão propício para ter um mercado de capitais forte quanto agora, que a taxa de juros se consolidou num patamar de dois dígitos, e na faixa de 2% a 3% ao ano, em termos reais", avalia.

Resultado
No primeiro semestre de 2012, as operações de renda variável conduzidas pelo BB atingiram R$ 4,9 bilhões, num aumento de 226,7% em relação ao realizado em igual período do ano passado. Em renda fixa, as receitas do BB nessas operações chegaram a R$ 45 bilhões nos primeiros seis meses do ano, num avanço de 25% frente ao mesmo período de 2011.

Volume
R$ 4,9 bi foi o total das operações de renda variável conduzidas pelo BB no primeiro semestre

R$ 45 bi foram as receitas do BB com renda fixa nos primeiros seis meses deste ano

 

Fonte: O Estado de S. Paulo