× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

Resultado dos bancos públicos deve ser melhor

A expectativa de analistas é de que os números mostrem muitas diferenças na comparação com os privados


Em 30.07.2012 às 00:00 Compartilhe:


Os dois grandes bancos públicos do País - Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal - divulgarão os resultados do segundo trimestre na primeira quinzena de agosto. A expectativa de analistas é de que os números mostrem muitas diferenças na comparação com os privados. A principal delas diz respeito ao crescimento da carteira de crédito.

Espremidos pela alta da inadimplência, Itaú, Bradesco e Santander reduziram o ritmo de concessões entre abril e junho. Os dois primeiros diminuíram até mesmo as projeções para o crescimento dos empréstimos no ano. No Itaú, a expectativa agora é de uma expansão de 10% (ante uma faixa de 14% a 17% na estimativa anterior). No Bradesco, a previsão foi para um intervalo entre 14% e 18% - de 18% a 22% nos números anteriores. O Santander manteve os 15%.

Assim como ocorreu em 2008/2009, quando, em meio ao auge da crise global, os bancos públicos e privados tiveram comportamentos completamente distintos, a situação atual suscita dúvidas. "De antemão, não dá para dizer quem está certo e quem está errado. Só o tempo vai mostrar", ponderou o analista de investimentos da SLW Corretora Pedro Galdi. Naquela ocasião, o próprio mercado financeiro reconheceu que o BB acertou e os privados erraram.

Para o analista de instituições financeiras da Lopes Filho Consultoria, João Augusto Frota Salles, os bancos privados têm razão em ser mais cautelosos nos dias de hoje, marcados pela inadimplência em alta. "Os bancos privados não têm a garantia do Tesouro Nacional por trás", argumentou. "Se houver um problemas, eles simplesmente deixam de existir. Os bancos públicos acabam sendo salvos, como aconteceu com o BB em 1996."

Fonte: O Estado de S. Paulo