× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

Adiar previdência privada pode custar caro

Com o déficit crescente da previdência pública, a expectativa de se aposentar com um bom salário é cada vez menor


Em 17.04.2012 às 00:00 Compartilhe:


Com o déficit crescente da previdência pública, a expectativa de se aposentar com um bom salário é cada vez menor para a maioria dos empregados do setor privado, que terão seus vencimentos limitados ao teto de contribuição de 3,6 mil, independente do salário que receberam ao longo da carreira. Por isso, a opção por uma previdência privada vem se tornando a salvação para muitos daqueles que querem preservar o poder aquisitivo após a aposentadoria. No entanto, contratar um plano de previdência privada muito tarde, pode significar um custo alto e uma baixa complementação salarial.

Segundo Marcelo Maron, diretor-executivo do Grupo PAR e consultor em finanças pessoais, as pessoas precisam ter consciência de que, quanto mais cedo começarem a contribuir com uma previdência privada, menos terão que pagar. "É claro que, em se tratando de valores, o dinamismo da vida em muito influenciará na forma, na freqüência e nos valores de contribuições para o seu plano, ao longo de tantos anos", afirma. "Tomemos como exemplo duas pessoas que queiram se aposentar aos 65 anos de idade e desejam receber uma pensão de R$ 5 mil por mês em caráter vitalício. A diferença entre tais pessoas é que uma tem 20 anos de idade e a outra 35 anos. Em função desta diferença de 15 anos para o início das contribuições, isto resultará em uma contribuição mensal de R$ 255 para a que tem 20 anos e de R$ 869 para a que tem 35 anos. Veja a gigantesca diferença entre começar cedo ou mais tarde", assinala.

Outro problema para quem ganha acima do salário mínimo, explica o consultor, está no fato de que os reajustes das aposentadorias definidos pelo Governo Federal têm ficado abaixo daqueles praticados para quem ganha o salário mínimo: "Isto faz com que, ao longo dos anos, a pensão recebida represente um número cada vez menor em salários mínimos. Em cerca de 20 anos de aposentadoria é muito provável que uma pessoa que tenha se aposentado com quatro salários mínimos esteja recebendo apenas um, o que justifica ainda mais a necessidade de uma complementação", alerta.

"No Brasil de hoje há instituições com bastante credibilidade para que você entregue seus recursos ao longo da vida, visando um complemento significativo da parca aposentadoria do INSS, além de benefícios fiscais, que diminuem o valor do imposto de renda anual. Há diversas modalidades de planos, para todos os gostos, perfis e necessidades. Para tanto, basta informar-se com alguém que possa ajudá-lo a tomar a decisão mais correta e adequada", finalizou. 

Fonte: Agência ANABB com informações do Jornal Monitor Mercantil