× Modal
< Voltar


Cassi

Prestadores de serviço dão nota 8,5 à CASSI

O Norte e o Nordeste tem a maior média de satisfação. Aproximadamente 93% dos prestadores atribuem as maiores notas


Em 20.01.2012 às 00:00 Compartilhe:

Os credenciados à CASSI (hospitais, clínicas, médicos, laboratórios etc) estão satisfeitos com a Instituição. É o que revela pesquisa realizada com 5.892 prestadores de serviços de todos os Estados do País, entre os dias 11 de novembro e 9 de dezembro de 2011, pela Opinião Consultoria, instituto de Brasília. A média geral atribuída pelos credenciados é de 8,5, em uma escala que varia de 0 (totalmente insatisfeito) a 10 (totalmente satisfeito). A margem de erro nacional é de 1,1%.

 

Os prestadores responderam, por telefone, questões que avaliam o relacionamento com a CASSI, o tempo de permanência no Plano, a quantidade de atendimentos realizados por mês, a satisfação quanto à Central CASSI, site e Unidades e a percepção sobre volume de glosas e burocracia administrativa.

O Norte e o Nordeste são as regiões com a maior média de satisfação (8,7), em que aproximadamente 93% dos prestadores atribuem notas altas ou muito altas para a CASSI. No Sul do País, encontra-se o índice mais baixo, embora considerado alto: 8,2. A região Sudeste ficou com média geral de satisfação de 8,4 e, o Centro-Oeste, 8,5.

O estudo também mostra que os prestadores possuem relacionamento de longa data com a Caixa de Assistência. Cerca de 67% deles atendem pela CASSI há cinco anos ou mais, sendo que quase metade (49,2%) é credenciado há dez anos ou mais. Quando questionados se pretendem continuar atendendo pelo Plano, 95,8% respondem afirmativamente.

Em comparação com a pesquisa realizada em 2010, observa-se um crescimento na satisfação geral com a Caixa de Assistência, quando os dados coletados apuraram média 8,2. O aumento na satisfação também pode ser verificado em outros itens avaliados, como Central CASSI, site, Unidades e liberação de autorização de procedimentos.

Clique aqui para ver detalhes da pesquisa

Clique aqui para ver a pesquisa na íntegra

Fonte: Cassi