× Modal
< Voltar


Banco do Brasil

Banco do Brasil antecipa recursos para financiar custeio do algodão

O BB também elevará a R$ 1 bilhão o adiantamento de crédito para a safrinha de milho de 2012


Em 29.09.2011 às 00:00 Compartilhe:

Por Tarso Veloso | De Brasília

 

Ampliar imagemDias, vice-presidente de agronegócios do BB: "Apesar dos juros, tem sido vantajoso antecipar o financiamento".
Pela primeira vez, o Banco do Brasil (BB) vai ofertar recursos do crédito rural para o chamado "pré-custeio" da safra de algodão de forma antecipada. A nova linha está disponível a partir de hoje. O BB também elevará a R$ 1 bilhão o adiantamento de crédito para a safrinha de milho de 2012, informou ao Valor Osmar Dias, vice-presidente de Agronegócios da instituição.

A vantagem do "pré-custeio" ao produtor, segundo o BB, é a possibilidade de comprar insumos, como sementes, adubos e defensivos, antes do tradicional movimento de elevação dos preços em razão do aumento da demanda às vésperas do plantio.

O financiamento para pré-custeio do algodão não terá limite de recursos, garante o diretor de Agronegócios do BB, Ives Cézar Fülber. "O banco está disposto a atender a toda a demanda que chegar", afirma. Assim como acontece com o milho, o teto será de R$ 500 mil por beneficiário.

No caso do milho, o BB havia destinado R$ 810 milhões ao pré-custeio no ano passado. Agora, espera chegar a R$ 1 bilhão. Neste ano, os adiantamentos para a safra de verão somaram R$ 3 bilhões desde abril.

O BB informa que os preços dos insumos aumentaram, em média, 15% no período próximo ao plantio da safra atual. "Quando não tem dinheiro para antecipar a compra, o produtor tem que aguardar o financiamento", diz o vice-presidente Osmar Dias. "Com isso, o fabricante de adubo e de herbicida espera. Quando o banco vai liberar o recurso, ele dá uma puxada no preço. Aí, o agricultor pega o dinheiro e já está pagando mais caro".

O diretor Ives Fülber estima que o adiantamento pode proporcionar ao agricultor uma economia de até 10% na aquisição dos insumos. "Comprando antes da hora ele evita a forte procura e consegue negociar. É uma simples ação que resulta em uma coisa muito boa para o produtor", afirma Fülber.

O vice-presidente Osmar Dias diz que, apesar dos juros, "fica mais barato" tomar o crédito adiantado. A decisão de contratar mais cedo é uma aposta. "Mas, como regra, tem sido vantajoso antecipar o financiamento. Apesar de pagar mais juro, pelo fato de pegar o empréstimo antes, o valor total a ser pago é muito menor do que o aumento que o produto vai ter", afirma Dias.

Fonte: Valor Econômico