× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

Douglas ressalta o espírito altruísta do funcionalismo

Douglas ressalta o espírito altruísta do funcionalismo


Em 01.01.2015 às 00:00 Compartilhe:


O espírito altruísta e dedicado do funcionalismo do Banco do Brasil foi ressaltado, na solenidade de premiação do IV PRÊMIO CIDADANIA da ANABB,  por meio do discurso do coordenador do Programa Brasil Sem Fome, Douglas Scortegagna.


O diretor da ANABB lembrou que tem-se acompanhado de forma pró-ativa o crescimento da população carente nos grandes centros, e enfatizou que as pequenas ações realizadas por abnegados cidadãos em prol dos menos favorecidos têm grandes repercussões nos mais distantes rincões do país.
Leia abaixo a íntegra do discurso de Douglas Scortegagna.


Autoridades e demais convidados aqui presentes.
Nossa festa de hoje decorre de nosso compromisso com a cidadania. De forma espontânea, o funcionalismo do Banco do Brasil sempre responde aos apelos da sociedade e, quando convocado, põe, literalmente, a mão na massa, para ver seu semelhante mais feliz.

São muitos os voluntários e anônimos abnegados que se dedicam, de corpo e alma, exercitando formas criativas de multiplicar os recursos financeiros disponíveis para amenizar a fome e tantas outras necessidades de uma expressiva parcela de nossa população, excluídas totalmente dos benefícios de nossa pátria generosa e mãe gentil.

Dessa maneira, estimulamos a Caridade, mas na forma pura do cristianismo primitivo, ou seja, do amor altruísta, que impulsiona a vontade de agir na busca efetiva do bem-estar do próximo.
A cada dia vemos aumentar o círculo de miséria na periferia das metrópoles, que recebe desde ingênuos camponeses a honrados profissionais de pequenas cidades do interior para contaminá-los com a libertinagem do asfalto e a falsa promessa de sobrevivência honrada na cidade grande.

Não apoiamos, jamais, modelos assistencialistas que preservem a relação entre poderosos e dependentes, que sobrevivam dos sobejos de uma sociedade egoísta e insensível, que pensa na esmola apenas como passaporte para o paraíso celestial. Quando na realidade a esmola até prejudica quem recebe e apenas alivia a consciência de quem dá.

Também não desejamos soluções paliativas que protelem o sofrimento e a infelicidade de gerações sucessivas. Não queremos que nossos concidadãos se degradem na fome, na miséria, na doença, no analfabetismo, na alienação, como também na sinecura e na exploração do próximo.

Devemos continuar cobrando de nossos dirigentes nacionais, como também colaborar com eles, para que encontremos soluções técnicas e políticas para minorar o crescente grau da miséria que viceja em nosso País.

Simbolizando esse trabalho espontâneo em favor dos menos favorecidos, a Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil – ANABB instituiu, em 1995, o “PRÊMIO CIDADANIA” para estimular o exercício contínuo da cidadania em todos os rincões do País.

Hoje, em sua quarta edição, já nos permitiu aprendermos o quanto é importante nossa solidariedade nos mais distantes e pobres rincões deste país. Ficaram ótimos exemplos de criatividade, oportunidade e reaplicabilidade das ações vitoriosas. São exemplos maravilhosos de como, com boa vontade, dedicação, doação pessoal e esforço coletivo, pode-se oportunizar melhores condições de uma cidadania digna aos nossos irmãos brasileiros.

A ANABB, assim como outras entidades, estarão sempre prontas a oferecer oportunidades para que os colegas voltem a sentir satisfação em emprestar seu voluntarismo para ajudar nossos irmãos brasileiros e, com isso, resgatar sua auto-estima ferida.
E hoje, mais do que nunca, a satisfação de dever cumprido se redobra, quando temos o grande prazer de receber entre nós, novamente, como representante de nosso querido Betinho, seu filho DANIEL, a quem agradecemos do fundo de nossos corações o esforço para fazer-se presente.


E, ao lembrar o Betinho, lembramos de uma frase dele em que assim conceituava o sentido de sua proposta, na vitoriosa campanha da AÇÃO DA CIDADANIA CONTRA A FOME, A MISÉRIA E PELA VIDA:
"É um movimento social e político que trata a exclusão como um problema ético de toda a sociedade e não como conseqüência inevitável do desenvolvimento econômico. (...) É, acima de tudo, um movimento que constrói, além da solidariedade que desperta uma nova forma de fazer política. Esta nova política está baseada em três conceitos: parceria, iniciativa e descentralização".

Não poderíamos deixar de registrar, aqui, também, os mais sinceros agradecimentos aos que compuseram a difícil missão de escolher os trabalhos ora premiados.

Ao Fernando, indicado pela Fenabb; à Cristina, indicada pelo IBASE; ao Mauro, indicado pela FBB; ao Waldir, indicado pelo MISMEC e à Raquel, indicada pela ABRACE. Recebam de todos nós nosso abraço e nossa gratidão.

Para se ter uma idéia das dificuldades enfrentadas no julgamento, foram 113 trabalhos inscritos, dos quais 75 chegaram em tempo de serem analisados pela Comissão Julgadora e, finalmente, 11 foram premiados.

Para finalizar, cumprindo sua missão institucional de defender a SOCIEDADE, zelar pela integridade do BANCO DO BRASIL, tendo como fundamento a valorização de SEUS FUNCIONÁRIOS, a ANABB presta homenagem especial aos ganhadores do “IV PRÊMIO DA CIDADANIA”, verdadeiros representantes da garra, do entusiasmo, da dedicação e do profissionalismo de todos os incansáveis voluntários do BB, por todo o País.

A eles nosso reconhecimento e nossos aplausos.
Muito Obrigado!

Fonte: Agência ANABB