× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

Projeto Padaria

Projeto Padaria


Em 01.01.2015 às 00:00 Compartilhe:


Comitê da Cidadania Contra a Fome e a Miséria de Sapucaia do Sul inaugura curso de padeiro e confeiteiro para adolescentes de 14 a 17 anos. Essa ação faz parte do “Projeto Padaria”, apoiado pelo Programa da ANABB, Brasil Sem Fome, e tem levado qualidade de vida às comunidades envolvidas.

A profissionalização de jovens carentes e em situação de vulnerabilidade da cidade de Sapucaia do Sul (RS) é a base do trabalho do Comitê da Cidadania Contra a Fome e a Miséria de Sapucaia do Sul.

Com recursos do Programa da ANABB, Brasil Sem Fome, o comitê, coordenado pela aposentada do BB Nara Clebia Morais Recktenwald, e que conta com o apoio importante de outros funcionários do Banco, entre eles o aposentado Valério José Gobatto, colocou em prática o “Projeto Padaria”, dando mais um passo para fortalecer a responsabilidade social da entidade. O projeto oferece curso de padeiro e confeiteiro para adolescentes de 14 a 17 anos.

“Foi a realização de um sonho”, conta a coordenadora do comitê, Nara Clebia, ao inaugurar o curso no dia 20 de abril. O dinheiro do Brasil sem Fome garantiu a compra dos equipamentos e a reforma do espaço onde são realizadas as aulas, gerando oportunidade de profissionalização para os adolescentes envolvidos.

O diretor da ANABB e coordenador do Programa Brasil sem Fome, Douglas Scortegagna, participou da inauguração e pôde apreciar o trabalho desempenhado pelo comitê na prática do “Projeto Padaria”. “É um exemplo de solidariedade e dedicação dos colegas do Banco, que realizam um trabalho de grande representatividade social, como é a profissionalização desses adolescentes”, ressaltou.

A primeira turma do curso de padeiro e confeiteiro vai formar 30 adolescentes da comunidade. O curso tem duração de 360 horas e, após o término, os alunos receberão certificação do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Segundo Nara Clebia, o certificado abrirá portas para os adolescentes no mercado de trabalho. O Senai e a Escola Estadual Vila Prado são parceiros do Comitê de Sapucaia do Sul.

O Comitê Cidadania Contra a Fome e a Miséria de Sapucaia do Sul foi criado há 12 anos. Segundo a coordenadora, o “Projeto Padaria” foi idealizado desde a criação do Comitê. Além do curso de padeiro e confeiteiro, são oferecidos cursos de Elétrica Predial e Industrial e Serralheria. Os alunos recebem também noções básicas de Informática.

Água da chuva: uma alternativa sustentável
A captação e o reaproveitamento da água da chuva tem ajudado moradores da área rural do município de Chapada Gaúcha, norte de Minas Gerais, a superarem períodos de estiagem. Isso graças à iniciativa de funcionários da Contadoria do Banco do Brasil, em Brasília, que possibilitou o reaproveitamento das águas pluviais por meio da construção de cisternas de placas.

O Comitê de Voluntariado da Contadoria Cidadã recebeu recursos do Programa da ANABB, Brasil Sem Fome, para impulsionar o projeto “Água é Vida”, que possibilita a captação da água da chuva por meio da construção de cisternas de placas pré-moldadas, transformando-a em água limpa para beber e cozinhar. “O projeto não só oferece benefícios à família como também favorece a geração de emprego”, afirma o coordenador do Comitê, Saulo Rodrigues dos Santos. Cada cisterna é construída por quatro pedreiros.

Iniciado em 2001, o projeto já viabilizou a construção de 48 cisternas de 16 mil litros, beneficiando 48 famílias (uma cisterna por residência), num total de 387 pessoas. A perspectiva, segundo Saulo Rodrigues, era de construir 87 reservatórios, num período de 9 anos. Mas, com o apoio do Brasil Sem Fome, a meta deverá ser atingida no fim deste ano. “Com a parceria da ANABB nós conseguimos impulsionar essa ação”, comemora.

De acordo com o coordenador, mais 30 cisternas estão sendo construídas com a colaboração do Programa da ANABB. Uma escola da região também foi beneficiada com a construção de um reservatório com capacidade de 50 mil litros.

A água da chuva é captada entre dezembro e março, pois nos outros meses do ano quase não chove na região. A cisterna permite o armazenamento da água, além de ser de fácil tratamento. Com isso, isenta as famílias beneficiadas de consumirem água poluída.

Iniciativas premiadas
 Para o coordenador do Programa Brasil Sem Fome e diretor da ANABB, Douglas Scortegagna, são iniciativas como essas que poderão mudar a realidade de famílias que sofrem com a falta de água e resolver problemas futuros de escassez da água. “O reaproveitamento das chuvas, além de beneficiar essas pessoas, mostra como os recursos naturais podem ser aproveitados de maneira sustentável”, afirma.

Um exemplo de reconhecimento do trabalho desenvolvido pelo Comitê foi a premiação no IV Prêmio Cidadania, realizado em setembro 2005 pela ANABB. O projeto de construção de cisternas de placas pré-moldadas concorreu com mais de 120 inscritos e ficou em 6° lugar. Segundo o coordenador do Comitê, Saulo Rodrigues, o Prêmio Cidadania ajudou a divulgar o projeto e estimulou a colaboração de mais pessoas para com o Comitê.

Fonte: AÇÃO 184 - MAR/JUN DE 2006