× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

A vida pelas crianças

A vida pelas crianças


Em 01.01.2015 às 00:00 Compartilhe:


Mãe Vera é o apelido carinhoso de Raimunda Silvéria Soares Luz. Apesar de ter idade para ser avó, aos 62 anos Dona Raimunda é mesmo uma mãe, e daquelas rodeadas de filhos. Moradora de Águas Lindas (GO), cidade a 50 quilômetros de Brasília, há 10 anos ela abriu a Casa de Moisés, onde cuida de 66 crianças pobres, muitas delas filhos de pais condenados pela justiça e que cumprem pena em regime fechado. Mãe Vera comanda a casa com capricho. Tudo é organizado mas as dificuldades financeiras tornaram a manutenção do alojamento, da cozinha e da lavanderia bastante delicada. As condições de higiene eram precárias, o que sensibilizou o comitê de cidadania formado pelos funcionários da ANABB.

Criado em meados de 2004 e com experiência em outros projetos, o comitê visitou a Casa de Moisés e pediu ajuda ao programa Brasil Sem Fome, da Associação. Os voluntários apresentaram uma proposta para a construção de uma cozinha nova, maior e que possibilitasse manter as mínimas condições de higiene para preparar a alimentação das crianças. Projeto aprovado, mãos à obra. Em janeiro, as obras começaram e no começo de fevereiro, a cozinha já estava pronta, tornando-se motivo de orgulho para Mãe Vera. A cozinha é passagem obrigatória para quem visita a casa. O espaço virou uma espécie de vitrine e tem motivado outras pessoas a contribuir.

O aposentado do Banco do Brasil, Roberto Meira, e o empresário Jadir Gomes da Silva, de Brasília, já se ofereceram para ajudar o comitê da ANABB a construir novos banheiros e a ampliar os alojamentos. Os dois se interessaram pelo projeto no fim do ano passado, quando doaram recursos para a festa de Natal da Casa de Moisés, que teve direito a Papai Noel, cama elástica, pisicina de bolinhas, carrinho de pipoca e de algodão doce.
As contribuições apenas coroam um trabalho que começou há 40 anos, quando Mãe Vera passou a ajudar crianças órfãs e abandonadas. Para se dedicar à causa, Mãe Vera, que no ano passado fez voto de pobreza e recebeu a ordenação da Ordem Franciscana, teve de fazer opções difíceis ao longo da vida. Pressionada pelo ex-marido a fazer uma escolha – ficar com ele ou com as crianças –, ela preferiu seguir sua vocação e não se arrepende. Basta olhar para o largo sorriso no rosto de Mãe Vera para ter essa certeza.

Fonte: AÇÃO 174 - JAN/FEV DE 2005