× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

ANABB reforça campanha e põe na rua um milhão de camisetas

ANABB reforça campanha e põe na rua um milhão de camisetas


Em 01.01.2015 às 00:00 Compartilhe:


Os funcionários do Banco do Brasil vão reforçar ainda mais a “Campanha de Ação da Cidadania contra a Miséria, e pela Vida”, lançada pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho. Nos próximos dias, os quase dois mil comitês formados por funcionários do BB já poderão contar com a camiseta da cidadania. Ela será repassada aos comitês por US$ 2, já computadas as despesas de entrega. Os pedidos de camisetas serão controlados pela Anabb em parceria com a Superintendência do Banco no DF.

A ideia partiu da Super-DF que designou o colega Fernando Carvalho para desenvolvê-la e acompanhar todo o projeto, juntamente com a ANABB que, convidada, aceitou o desafio, porque acredita ser esse um dos caminhos que levarão os funcionários a mostrar à sociedade a importância que tem a presença do BB pelo país afora. Muito trabalho e dedicação junto a comunidades carentes serão a maior resposta que poderemos dar aos ataques que estamos sofrendo por parte da grande imprensa e dos grupos interessados na privatização do Banco.

As camisetas serão mais uma ferramenta à disposição do funcionalismo do Banco do Brasil em favor da Campanha. Segundo o Diretor Administrativo e Financeiro da ANABB, Douglas Scortegagna, a meta da entidade é atingir um milhão de camisetas vendidas até o Natal, numa demonstração de solidariedade do funcionalismo do BB aos 32 milhões de brasileiros pobres. Todos os passos da Campanha serão divulgados pelo Ação. As encomendas deverão ser feitas através da ANABB, por fax, telex ou carta. O preço de US$ 2, ao câmbio comercial dos dias 1º, 10 ou 20 de cada mês, absorverá apenas os custos de confecção acrescidos dos impostos, taxas e despesas de remessa. O prazo de pagamento será de, no máximo, 15 dias a partir do recebimento das camisetas.

Reforço
A venda das camisetas – de cor branca, estampadas por um coração onde se lê a palavra “cidadania”, sobre o slogan “Alimente essa idéia” – vai reforçar o trabalho de apoio à Campanha, já desenvolvido pelas centenas de comitês de funcionários do Banco.

É o caso, por exemplo, dos colegas da agência da 504 Norte, em Brasília, onde 170 funcionários arregaçaram as mangas e trabalham em parceria com a comunidade do Varjão do Torto, uma ex-invasão na periferia do Plano Piloto da cidade. São 1.117 famílias cadastradas, o que abrange cinco mil pessoas beneficiadas pelo projeto desencadeado pelo pessoal da agência.
Alem dos 500 quilos de alimentos distribuídos, comprados com a doação de valetiks, o projeto dos funcionários inclui uma horta comunitária, uma creche para atender 100 crianças e um curso de datilografia para os jovens da comunidade.

“Eles também terão de se ajudar”, explica Marlice Cartaxo, uma das coordenadoras do projeto, ao lado dos colegas Marluce dos Santos Guimarães e José Shirloaldo. No dia da criança – 12 de outubro – os funcionários da agência distribuíram lanches e brinquedos para as crianças do Varjão do Torto.

Também com o apoio de comitês contra a fome do BB, uma padaria comunitária produz artesanalmente em Ceilândia, cidade satélite em Brasília, alimentação alternativa, como farinha de folha de mandioca e farelo de casca de arroz – alimentos ricos em proteínas e considerados completos em termos de nutrição. O estabelecimento, antes com capacidade para comercializar mil pães, fabrica hoje oito mil unidades para a população carente local. O maquinário para a padaria foi doado por funcionários do BB de Brasília e da AABB de São Paulo.

Fonte: AÇÃO 54 - NOV/93