× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

CASSI orienta participantes no combate à dengue

Veja as medidas preventivas que podem ser adotadas no dia a dia


Em 11.02.2011 às 00:00 Compartilhe:


Aumento de temperatura e ocorrência de chuvas são comuns nesse período do ano. Essas condições são propícias para acumular água parada, ambiente de procriação do mosquito causador da dengue. Engajada no combate à doença, a Caixa de Assistência promove eventos de conscientização nas CliniCASSI distribuídas por todo o País e repassa informações e orientações aos profissionais de saúde dos Serviços Próprios e prestadores de serviço para qualificar ainda mais o atendimento prestado.

Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 70% dos casos da doença concentram-se entre janeiro e maio, com exceção das regiões Norte de Nordeste, onde as chuvas começam em março e se estendem até julho. Neste ano, 16 Estados têm risco muito alto de enfrentar uma epidemia de dengue. Por isso, é importante redobrar os cuidados, principalmente durante o verão.

Nesse cenário, a atuação dos participantes é fundamental para evitar a doença, mas é preciso comprometimento. “Cada um deve fazer a sua parte, cuidando da sua casa e ficando atento aos terrenos baldios, que podem oferecer riscos de foco de dengue”, afirma a enfermeira Marília Pires de Carvalho, da CliniCASSI Brasília Sul (DF).

Ela explica que a falsa sensação de segurança pode atrapalhar nessa tarefa. “Muitas pessoas pensam que ser infectado pelo vírus da dengue não é algo que possa ocorrer com elas. Esse pensamento, aliado ao dia a dia corrido, faz com que as pessoas não se mobilizem”, avalia.

Para evitar a dengue, a melhor atitude é combater os focos de acúmulo de água. Veja algumas medidas simples que você pode adotar no seu dia a dia:
- não deixe acumular água sobre a laje;
- feche bem o saco de lixo e deixe-o longe dos animais;
- encha de areia os pratinhos dos vasos de planta ou lave-os semanalmente com escova, água e sabão;
- mantenha a caixa d’água completamente fechada;
- jogue no lixo todos os objetos que possam acumular água, como embalagens usadas, potes, latas, copos e garrafas vazias;
- não deixe pneus a céu aberto;
- lave semanalmente por dentro, com escova e sabão, os utensílios usados para armazenar água em casa, como jarras, garrafas e baldes;
- deixe todas as garrafas viradas com a boca para baixo;
converse com seus amigos e vizinhos, incentivando-os a fazerem o mesmo.

A dengue
Doença infecciosa aguda, a dengue é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado, não havendo transmissão por contato direto de um doente ou de suas secreções com uma pessoa sadia. As epidemias geralmente acontecem no verão. Não há vacina nem tratamento específico para a doença, apenas alívio de sintomas e reposição de líquidos. Os tipos mais comuns de dengue são a clássica e a hemorrágica.

Os sintomas mais frequentes são febre alta, dor de cabeça, atrás dos olhos, dor no corpo e nas juntas e manchas vermelhas pelo corpo. Ao aparecer um desses sinais, é importante não se automedicar. “Essa prática é contraindicada em qualquer circunstância, pois mascara sintomas e dificulta o diagnóstico, podendo resultar em agravamento do quadro do paciente e levá-lo, inclusive, à morte”, ressalta o coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, Giovanini Coelho.

Os participantes que apresentam algum dos sintomas podem procurar as CliniCASSI, que estão aptas a prestar o melhor atendimento e orientar o participante.

Fonte: CASSI