× Modal
< Voltar


Assuntos diversos

BB cria novo modelo de agência para atrair baixa renda

Entidde vai gastar R$ 1 bilhão com a abertura de 600 novas agências e postos de atendimento em todo país este ano


Em 20.01.2011 às 00:00 Compartilhe:


Para tentar atrair novos clientes e avançar, sobretudo, nas classes de menor renda (C, D e E), o Banco do Brasil vai gastar R$ 1 bilhão com a abertura de 600 novas agências e postos de atendimento em todo país este ano.

Segundo o presidente do BB, Aldemir Bendine, o investimento incluirá um novo conceito de atendimento bancário com a criação de 'agências complementares'. Na prática, uma espécie de correspondente que contará com presença de funcionários do banco dentro ou próximo ao estabelecimento conveniado para realizar outras operações que não são feitas nos correspondentes, como concessão de crédito.

O plano de expansão deverá estar concluído em 2014, quando o BB quer ter 1,9 mil agências complementares. Das 600 agências previstas para serem abertas este ano, 250 serão complementares, 250 tradicionais (incluídas 100 destinadas aos clientes com renda acima de R$ 4 mil) e 100 postos de atendimentos.

O reforço será maior na região sudeste, especialmente em São Paulo onde o BB não tem a liderança. Segundo Bendine, 21,2% das agências da região são do BB. A menor participação no país, já que nas demais regiões, o banco é o líder.

CONTRATAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS
Para atender ao projeto de expansão, o banco pretende contratar já este ano cerca de 5 mil novos funcionários. "Temos reserva técnica [de concursos já realizados] e poderemos fazer concursos regionais", disse Bendine.

Segundo ele, a meta é, até 2014, estar presente em todos os municípios com agências próprias, sem contar os correspondentes bancários. Hoje o BB tem 5 mil agências, 45 mil máquinas de autoatendimento, 1.847 postos (incluindo 179 postos em municípios que não tem nenhum banco) 6.631 mil pontos exclusivamente eletrônicos e 10.748 correspondentes lotéricos.

Fonte: Folha de S. Paulo