× Modal
< Voltar


ANABB

Ação On-Line 221

Medida Provisória editada pelo Governo leva Banco do Brasil e outros três bancos públicos federais a fazerem ajuste patrimonial. Pedro Malan garante que a privatização do BB está afastada.


Em 22.06.2001 às 00:00 Compartilhe:

BB fora de risco Medida Provisória editada pelo Governo leva Banco do Brasil e outros três bancos públicos federais a fazerem ajuste patrimonial. Pedro Malan garante que a privatização do BB está afastada. O objetivo é adequar a instituição ao Acordo de Basiléia

O Banco do Brasil está livre dos riscos das operações de créditos rurais realizadas com recursos do Tesouro Nacional. É o que diz a MP - Medida Provisória editada hoje (22.06.01) pelo governo para adequar o BB e outros três bancos públicos federais ao Acordo de Basiléia - que define as exigências de capital mínimo das instituições financeiras. Dessa maneira o BB não precisa mais realizar estudos ou provisões sobre o risco de crédito dessas operações.

Para garantir a saúde financeira dessas instituições, três delas - Caixa Econômica Federal, Banco do Nordeste e Banco da Amazônia. - contarão com um aporte financeiro de mais de R$ 12 bilhões. Somente à CEF serão destinados mais de R$ 9 bilhões desse total. O Banco do Brasil está fora da capitalização. Segundo o Governo, uma vez adequados às exigências do Acordo, diminuem consideravelmente os riscos dessas instituições ao Sistema Financeiro Nacional.

Para o Ministério da Fazenda, as medidas tornarão os "quatro bancos públicos instituições mais fortes, mais competitivas e, sobretudo, mais transparentes e ressalta:" Não se pretende caminhar na direção de privatizar os bancos públicos federais (..). O que se está fazendo é necessário para que os Bancos possam continuar atuando comercialmente mercado ou com suas funções enquanto veículos para programas de desenvolvimento econômico e social de forma saudável, sem prejuízo da solidez do sistema financeiro brasileiro. " Outra medida que vale para todos os bancos é a troca do que se pode chamar de títulos podres dos bancos por títulos públicos federais, como forma de também capitalizar as instituições e reestruturá-las como propõe a MP.

O BB também adotou medidas complementares para a reestruturação. Entre elas está a proposta de atualização do Estatuto do Banco do Brasil, com a criação de sete vice-presidências e até 24 Diretorias. A MP foi anunciada no Ministério da Fazenda, em Brasília, pelo ministro Pedro Malan. O presidente da ANABB, Valmir Camillo, esteve presente à reunião. Análise - Os técnicos da ANABB irão analisar os documentos distribuídos durante a reunião e, oportunamente, a entidade divulgará o estudo realizado.

Fonte: Agência ANABB