× Modal
< Voltar


Banco do Brasil

BB reduz proposta para funcionários

Na última sexta (05), o BB esteve reunido, pela manhã, com a Contec e, pela tarde, com a Executiva Nacional e apresentou as cláusulas do acordo coletivo após o julgamento do TST.


Em 08.11.2004 às 00:00 Compartilhe:


O Banco do Brasil reduziu grande parte das propostas negociadas anteriormente com os bancários. Na última sexta (05), o BB esteve reunido, pela manhã, com a Contec e, pela tarde, com a Executiva Nacional e apresentou as cláusulas do acordo coletivo após o julgamento do TST.

Tanto a Contec como a CNB/CUT não gostaram da proposta.
A PLR, por exemplo, ficou para ser analisada na próxima terça (09), quando ocorrerá nova reunião. A Contec pediu elevação da contraproposta de PLR de 80% para 100%, mas o Banco ficou de analisar a questão, pois vai ponderar o quanto o abono, não incluído no acordo e dado aos funcionários por determinação do TST, vai influenciar nas contas finais dos pagamentos.

A extinção da Parcela Previ também foi outro assunto que desagradou aos representantes do funcionalismo. Ao que parece, o BB não vai mexer nesta questão. Além disso, o BB mantém-se firme no que diz respeito ao adicional de R$30,00 nos salários. Conforme determinação do TST, esse valor será acrescido apenas nos salários de até R$1500,00; o que ocasiona, na visão dos representantes dos bancários, um desvio na curva no Plano de Cargos e Salários (PCS).

Foram retirados da proposta outros quesitos como a cesta alimentação extraordinária, gratificação de caixa, programa de alimentação, indenização por morte ou invalidez decorrentes de assaltos, cesta alimentação, indenização por morte ou invalidez decorrentes de assalto, cesta alimentação auxílio-creche, auxílio filhos excepcionais ou deficientes físicos. Segundo o BB, estas cláusulas já foram contempladas pelo TST.

Nos encontros, o movimento sindical deixou claro que não ficou satisfeito com a atitude do BB. “O BB está se escondendo atrás do Tribunal para punir os funcionários”, afirmou o presidente da CNB/CUT, Wagner Freitas.

Já a Contec afirmou, em seu informativo, que “havendo a direção do banco sido nomeada por um governo de origem sindical, esperávamos que, no mínimo, mantivesse a contraproposta já apresentada, que seria apenas acrescida da condenação do pagamento de abono determinado pelo TST”.

BB e movimento sindical reúnem-se nesta terça (09) para continuar negociações. A ANABB vem acompanhando os encontros, representada pelo Diretor de Relações Externas e Parlamentares, Emílio Ribas Rodrigues.

Fonte: Agência ANABB, com informações da Contec e da CNB/CUT.