× Modal
< Voltar


ANABB

A DAMA DOS CHEQUES SEM FUNDOS

Texto da série Boas Lembranças do BB, compartilhado pelo associado Leonço Barbosa de Alencar – morador de Santos (SP)


Em 06.12.2021 às 12:38 Compartilhe:

Clientes bancários corretos são, por essência, sem graça. Pagam as contas em dia, conferem até os centavos do saldo da conta, não assinam qualquer documento sem antes uma demorada leitura e costumam fazer muitas perguntas.

Divertidos são os clientes problemáticos, aqueles que atrasam pagamentos, ignoram as cobranças, têm títulos protestados, cheques devolvidos e mudam de calçada quando veem o gerente. Quando comparecem ao banco geram risos às escondidas e comentários de toda ordem entre os funcionários.

Contarei aqui um causo que trata justamente de uma cliente que costumavam dar dor de cabeça ao gerente.

Para preservar a identidade dos envolvidos darei a eles nomes fictícios e omitirei em qual agência se deu o fato.

Dona Alaíde era uma senhora muito simpática, bonita, boas maneiras, sempre sorridente, boa de conversa, uma verdadeira “Lady” e que oferecia muito mais perigo com um talão de cheques na mão do que com uma escopeta.

Certo dia Dona Alaíde compareceu perante o Gerente, Sr. Túlio, completamente “passada”, fora de suas características, reclamando veementemente da devolução de uma cártula por si emitida.

- O senhor poderia ter me avisado antes de devolver, Sr. Túlio, eu “vinha” aqui “cobrir o cheque”.

Naquela época, na fase pré informatização, os serviços internos das agências passaram a ser executados nos Centros de Processamento, conhecidos pela sigla CESEC, estrategicamente instalados em cidades polos regionais.

Talvez por não querer esticar a conversa, ou fugir da responsa, até porque antes daquele muitos “borrachudos” haviam tomado o caminho de volta, Sr. Túlio saiu-se com esta:

- Sabe, Dona Alaíde, não sou eu quem devolve os cheques, quem devolve é o CESEC.

Dona Alaíde não se deu por vencida e sem aceitar a explicação, disparou:

- Então o senhor me diga onde posso encontrar esse “Seu Zé” que eu vou lá falar com ele.

Leonço Barbosa de Alencar - Santos (SP)

 

SEU TEXTO PODE SER O PRÓXIMO!

Você, associado, também tem uma boa história para contar e gostaria de compartilhar com os colegas do BB?

Basta enviar sua crônica para o e-mail: vicom@anabb.org.br. Fique atento às regras:

- Os textos devem ser enviados em arquivo do tipo Word.
- Devem conter no máximo 3 mil caracteres, contando espaços.
- O associado deve informar nome e cidade no e-mail.

Funcionários aposentados do Banco do Brasil, colegas que vivenciaram um BB com costumes e tecnologias próprios da época, certamente têm boas histórias para contar.

Quer ver seu texto publicado na série Boas Lembranças do BB? Então compartilha com a gente.

 

Clique aqui para ler outros textos da série Boas Lembranças do BB

 

Fonte: Agência ANABB