× Modal
X

SITUAÇÃO FINANCEIRA DA CASSI

A difícil situação financeira pela qual passa a Cassi é inquestionável. Por isso, antes de tratarmos da proposta, construída conjuntamente pelas entidades e pelo patrocinador e que será levada à consulta ao corpo social, ainda em maio, é de suma importância contextualizar o associado acerca da real situação de nossa Caixa de Assistência.

O último ingresso substancial de recursos para a Cassi deu-se em 2007, na consulta ao corpo social, com aporte imediato de R$ 300 milhões pelo BB e definição de novos percentuais de contribuição para o associado e o patrocinador. Houve, na sequência, entrada de outros recursos extraordinários, decorrentes de renegociações tributárias (2009) e do Benefício Especial Temporário (BET).

No entanto, a Cassi vem, desde 2012, portanto, há sete anos, registrando sucessivos déficits: 2012 (R$ 108 milhões), 2013 (R$ 29 milhões), 2014 (R$ 109 milhões), 2015 (R$ 234 milhões), 2016 (R$ 159 milhões), 2017 (R$ 206 milhões) e 2018 (R$ 378 milhões).

Registre-se ainda que, desde dezembro de 2016, a Cassi passou a arrecadar, em caráter extraordinário e temporário, em decorrência do Memorando de Entendimentos, cerca de R$ 40 milhões/mês (R$ 23 milhões do BB e R$ 17 milhões dos associados). Mesmo assim, continuou a registrar resultados deficitários em 2016, 2017 e 2018.

Os sucessivos resultados negativos consumiram as reservas com impacto nos principais indicadores financeiros, entre eles:

  • Os ATIVOS GARANTIDORES fecharam em déficit de  R$ 74 milhões – o desenquadramento vem desde julho de 2018.
  • A MARGEM DE SOLVÊNCIA fechou em déficit de R$ 810 milhões – a situação vem  se repetindo desde julho de 2017.
  • O PATRIMÔNIO SOCIAL fechou em R$ 99 milhões negativos – a situação estende-se desde o início de 2018.
  • A RECEITA per capita  anual da Cassi é de  R$ 525,00 e as DESPESAS são de R$ 783,64.

 

Veja, nos gráficos a seguir, como estão os principais indicadores financeiros da Cassi:


PATRIMÔNIO X RESULTADO LÍQUIDO
A Cassi fechou o exercício de 2018 com prejuízo acumulado de R$ 378 milhões, resultante do descasamento entre receitas e despesas. Embora não impacte o resultado, vale ressaltar que o BB adiantou, no 1º semestre de 2018, R$ 323 milhões referentes ao 13º salário da parte patronal na contribuição de quatro anos.

Em 2017, prejuízo foi de R$ 206 milhões.

 

PATRIMÔNIO X MARGEM DE SOLVÊNCIA
Em 2018, a Cassi encerrou o ano com patrimônio social ajustado de R$ 109 milhões negativos (passivo a descoberto). A margem de solvência – exigência de recursos próprios – foi de R$ 701 milhões em dezembro de 2018, o que representa uma insuficiência de R$ 810 milhões.

 

RECEITAS X DESPESAS DA CASSI
A evolução mensal entre receitas e despesas da Cassi está demonstrada no gráfico a seguir. Também é possível acompanhar o Índice de Sinistralidade, que expressa o consumo das receitas pelas despesas. Em 2018, o Índice de Sinistralidade foi de 103,15%, isto é, as receitas básicas não foram suficientes para financiar as despesas básicas do exercício, sendo estas 3,15% superiores às receitas.