× Modal
X

ANABB ESCLARECE PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE O PIX
Confira algumas perguntas e respostas sobre o Pix e retire as dúvidas que ainda tem sobre a nova ferramenta

Como todos sabem, o Pix começa a funcionar em sua plenitude no próximo dia 16 de novembro. Para encerrar a série sobre essa nova ferramenta financeira, a ANABB preparou várias perguntas e respostas com informações do Banco Central do Brasil, para sanar as possíveis dúvidas que os associados possam ter sobre o sistema de pagamento instantâneo.

CONFIRA ALGUMAS PERGUNTAS E RESPOSTAS E RETIRE SUAS DÚVIDAS
 

Sou obrigado a cadastrar uma chave Pix para utilizar a ferramenta?

Não é necessário cadastrar uma chave para fazer ou receber um Pix. No entanto, de acordo com o Banco Central, o cadastramento da chave é altamente recomendável para receber um Pix. Ainda que você possa receber transações apenas informando os dados da sua conta, essa forma não tem a mesma praticidade que o uso que a chave possibilita e pode gerar demora na iniciação da transação, diminuindo o benefício do pagador em fazer um Pix. 

Quantas chaves eu posso ter?

Os clientes das instituições financeiras pessoa física podem ter 5 chaves para cada conta do qual forem titular, enquanto os clientes pessoa jurídica podem ter 20 chaves para cada conta do qual forem titular.

Se eu tenho mais de uma conta, posso incluir todas no Pix?

Sim. Você pode usar chaves distintas para vincular as diferentes contas transacionais. Por exemplo, usar o número de telefone celular vinculado à conta corrente da instituição X, usar o CPF vinculado à conta poupança da instituição Y, usar o e-mail vinculado à conta de pagamento da instituição Z, etc. Contudo, informamos que não é possível vincular uma mesma chave a mais de uma conta.

Posso vincular todas as chaves à mesma conta?

Sim. Você pode vincular todas as suas chaves (CPF, número de celular e e-mail) a uma mesma conta. Dessa forma, quando o pagador iniciar o pagamento a partir de qualquer uma dessas informações, os recursos serão disponibilizados nessa mesma conta. Existe, no entanto, um limite de 5 (cinco) chaves por conta para pessoas físicas e de 20 (vinte) chaves por conta para pessoas jurídicas

Preciso ter conta corrente em banco ou instituição de pagamento para fazer um Pix?

Não necessariamente. Você precisará possuir uma conta em um prestador de serviços de pagamento (instituição financeira ou instituição de pagamento) participante do Pix. Essa conta pode ser uma conta corrente, uma conta de poupança ou uma conta de pagamento pré-paga. É importante saber que o Pix não está restrito a bancos. Outras instituições financeiras e também instituições de pagamento (como algumas fintechs) podem ofertar Pix.

Veja a relação de instituições financeiras eu ofertam o Pix.

Como faço um Pix?


Para realizar um pagamento via Pix, você pode:

  • ler um QR Code com a câmera do seu smartphone, na opção de fazer um Pix no aplicativo da sua instituição financeira ou de pagamento; ou
  • informar uma chave Pix, que pode ser CPF/CNPJ, e-mail ou telefone celular do recebedor, ou uma chave aleatória, por meio da opção disponibilizada por sua instituição financeira ou de pagamento no aplicativo instalado em seu smartphone.

Embora não seja o padrão esperado, por sua pouca praticidade e demora, há alternativamente a opção de digitar manualmente os dados da conta transacional do usuário recebedor, como ocorre hoje para iniciar uma TED ou DOC.

Importante! A chave Pix é somente utilizada para facilitar o recebimento de um Pix. Assim, para pagar com Pix, não é necessário ter a chave Pix. 

Como recebo um Pix?

Para receber um Pix, você pode:

  • gerar um QR Code e apresentá-lo ao pagador; ou
  • informar ao pagador sua chave Pix, que pode ser CPF/CNPJ, e-mail, telefone celular ou chave aleatória. 

O QR Code pode ser gerado uma única vez ou pode ser gerado a cada nova transação, a depender da escolha do recebedor. Caso não queira gerar o QR Code ou informar a chave, há a opção de informar os dados completos de sua conta ao pagador, que terá que inserir os dados manualmente. Uma vez concluída a transação, o recurso será imediatamente encaminhado para sua conta e você receberá em tempo real uma mensagem confirmando o crédito na conta.

O que posso comprar ou pagar com o Pix?

Segundo o Banco Central, de forma geral, qualquer transação de pagamento pode ser feita por Pix, independentemente de suas características, como valor, característica do recebedor, característica do bem ou serviço comprado, horário, etc. Assim, podem ser realizadas transferências entre pessoas, pagamento de taxas e impostos, compra de bens ou serviços, inclusive no comércio eletrônico, pagamento de fornecedores e qualquer outra transação podem ser feitas por meio do Pix. A única condição para que a operação se concretize é que o recebedor aceite o Pix.

Existe um limite mínimo ou máximo de valor para fazer Pix?Existe um limite mínimo ou máximo de valor para fazer um Pix?

    Não há limite mínimo para pagamentos ou transferências via Pix. Em geral, também não há limite máximo de valores. Entretanto, de acordo com o BC, para reduzir riscos de fraudes e crimes, como a “lavagem de dinheiro”, as instituições participantes podem estabelecer limites máximos de valor para iniciação de um Pix, por usuário pagador:

    • por período (dia e horário);
    • por titularidade da conta;
    • por canal de atendimento; e por procedimento para iniciação. 

    É possivel agendar um Pix para uma data futura?

    Sim. O Pix pode ser agendado para uma determinada data futura (Pix agendado). Caso não haja recursos suficientes na conta do pagador na data prevista para a realização do Pix, a iniciação da transação não será autorizada. É importante observar que a oferta do Pix Agendado pelos participantes do Pix é facultativa, então o cliente deverá verificar se a instituição da qual é cliente oferece essa opção. 

    Posso pagar boleto utilizando o Pix?

    Será possível o pagamento de contas e de faturas com o Pix. Há a opção de o recebedor substituir o boleto ou complementar a cobrança com uma das formas de iniciação do Pix, como o QR Code. Dessa forma, contas e faturas poderão conter dois instrumentos de pagamento: o código de barras do boleto e o QR Code do Pix. Nesse caso, tratam-se de formas de pagamento distintas, ainda que possam estar previstas na mesma conta ou fatura, por opção do credor.

    Importante! Documento que contenha apenas o código de barras, e não contenha o QR Code, não pode ser pago utilizando Pix. 

    Só posso fazer um Pix se tiver um aparelho celular? 

    Não necessariamente. O Pix poderá ser disponibilizado pelas instituições participantes em diversos canais de acesso. O telefone celular, desde que seja um smartphone, é um desses canais. O BC acredita que o smartphone será o canal de acesso mais utilizado. Outros possíveis canais de acesso, que podem ser oferecidos a critério de cada instituição, são: internet banking e presencialmente nas agências, nos caixas eletrônicos ou nos correspondentes bancários, como lotéricas, por exemplo.

    Se eu fizer um Pix, mas digitar o valor errado, é possível fazer o estorno ou cancelamento da operação?

    Você poderá alterar o valor a ser pago ou cancelar a transação apenas antes da confirmação do pagamento. Após a confirmação, como a liquidação do Pix ocorre em tempo real, a transação não poderá ser cancelada. No entanto, você poderá negociar com o recebedor a devolução do valor pago. A devolução é uma funcionalidade disponível no Pix e é sempre iniciada pelo próprio recebedor. 

    Alguém pode utilizar a minha chave para sacar dinheiro da minha conta ou praticar outro tipo de golpe?

    Não, a chave serve exclusivamente para facilitar a identificação do recebedor, ou seja, do destinatário da transação, facilitando a experiência do pagamento, dado que reduz a quantidade de informações que têm que ser inseridas pelo pagador para identificar o beneficiário da operação.

    Atenção: Só realize transações em ambientes logados. Para usar o Pix, o usuário deve ter os mesmos cuidados de outros meios eletrônicos, ou seja, não compartilhe senha ou dados pessoais e tenha cuidado com links não solicitados que chegam por e-mail.

    Com o Pix, a TED e o DOC vão acabar? 

    Assim como a TED e o DOC, o Pix é um meio de pagamento à disposição da população. Trata-se de uma forma adicional de realizar pagamentos e transferências. Segundo o BC, a instituição não tem intenção de extinguir outros meios de pagamento.



    SÉRIE PIX

    A ANABB realizou uma série de matérias sobre o assunto com informações direto na fonte, o Banco Central do Brasil. O criador da ferramenta respondeu vários questionamentos enviados pela Associação.

    O objetivo é que até a data em que o Pix começar a funcionar os associados estejam informados e saibam como operacionalizar com tranquilidade a nova ferramenta.

    Veja as matérias já divulgadas: